• Home
  • Animais ficam presos em cidades alagadas em Santa Catarina

Animais ficam presos em cidades alagadas em Santa Catarina

9 comments

Em meio a um cenário de caos, uma imagem chamou a atenção de um dos atingidos pelas enchentes em Rio do Sul, uma das cidades que decretou calamidade pública em razão das chuvas em Santa Catarina. Um gato que tentava escapar das enchentes acabou ficando preso no vão de um telhado.

Nas enchentes em Rio do Sul, por pouco o gato escapou. Pouco depois de se abrigar, a água parou de subir em Rio do Sul. Imagem foi registrada no sábado (10). Foto: Erivelton Custódio/Arquivo pessoal

Segundo Erivelton Custódio, 34, que acabara de ser transferido para trabalhar em Rio do Sul e acabou preso na cidade pelos alagamentos, o gato foi subindo em direção ao telhado conforme a água subia. “Eu fiquei vendo. Se a água subisse mais um pouco, não ia ter jeito”, afirma.

Por sorte, as chuvas deram uma trégua e, neste domingo (11), já estavam bem abaixo do nível registrado por Erivelton no sábado. “A água parou de subir, acho que ele se salvou”, conta.

As águas também isolaram animais em Itajaí, outra cidade em que as casas foram “engolidas” pelas cheias do rio Itajaí-Açu. Logo na entrada da cidade, uma manada aguardava o resgate. Os bois estavam presos havia três dias no sábado. Só foram soltos no domingo.

Em Itajaí, os bois ficaram presos por três dias em um pedaço de cerca de um metro do que restou de terra firme. Não havia como retirar os animais. Foto: Rosanne D'Agostino/G1

Alagados

Moradores há uma semana fora de casa, ruas completamente inundadas, casas debaixo d’água, tratores, barcos, carros do Exército, lama, desespero. Rio do Sul vive dias de caos, sem previsão de término. O cenário é de destruição.

Tucano é flagrado em Rio do Sul. Foto: Erivelton Custódio/Colaboração G1/Rio do Sul

Desde a quinta-feira (8), quando a água começou a invadir as casas devagar, quase 70% da cidade está debaixo d’água. Os alagamentos chegaram a cobrir 90%. A cidade subiu o morro, contam os moradores.

A reportagem do G1 conseguiu chegar ao local apenas neste domingo (11), dia em que a passagem pela BR-470 foi reaberta. São 350 metros para chegar ao centro. Depois, fim da linha: o resto permanece submerso.

Localizada em um vale por onde passa o rio Itajaí-Açu, que depois vai desembocar em Blumenau, Itajaí e outras cidades atingidas pelas enchentes, Rio do Sul foi a mais afetada. Desta vez, diferentemente de 2008, quando pouca gente se viu com a casa inundada, choveu por três dias seguidos sem parar. Trovões, raios. Desde o início do mês, duas enchentes menores já haviam atingido a cidade.

‘Ninguém entra, ninguém sai’

A Defesa Civil falava em um nível de 12 metros do rio, que só em Blumenau alcançou 12,4 metros. Os moradores, descrentes que a situação seria tão grave, não retiraram os objetos do comércio, e poucos levaram os pertences das casas. Uma parte está em casa de parentes, outra, ilhada há vários dias, e outra, em abrigos.

Moradores ilhados esperam ajuda e tentam sair de barco pela janela de uma das casas na entrada de Rio do Sul; o Exército chegou à cidade neste domingo (11). Foto: Rosanne D'Agostino/G1

O abastecimento da cidade está prejudicado. Apenas um mercado está aberto, quase vazio. O único posto de gasolina está sem combustível. Três barragens na região estão com as comportas abertas, e todas vertendo. O sol raiou neste domingo. Se continuar assim, pelo menos uma semana ainda há de espera para Rio do Sul e suas vizinhas, Agronômica, Ituporanga, Aurora, Taió, Presidente Getúlio, Laurentino e Lontras, saírem debaixo das águas do Itajaí-Açu.

Ao todo, as chuvas em Santa Catarina afetaram quase 1 milhão de pessoas, 929,9 mil, em 91 municípios – muitos deles sofreram desabamentos, enchentes e tiveram casas completamente “engolidas” pelas águas. O número de desalojados, que estava em 167 mil na noite de sábado, caiu para 156,4 mil neste domingo. Até as 13h deste domingo, foram contabilizados 3 mortos, 3 feridos e 122 enfermos.

Oficialmente, duas pessoas morreram: um homem de 65 anos morto na quinta-feira (8), em Guabiruba, e outro de 50 anos, que morreu afogado em Itajaí neste sábado (10). Um terceiro homem, porém, morreu após ser atingido por uma descarga elétrica na sexta-feira (9), enquanto remava em um barco em Rio do Sul. Como o corpo não foi retirado da área isolada, não há confirmação oficial.

Fonte: G1

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Detesto essas meias-notícias do G1. Será que o gato foi resgatado ou o Erivelton só ficou assistindo o desespero do bichinho?

    Me deu muita dó do gato e dos bois….

  2. Realmente!!!! Tem gente que adora clicar as tragédias passo a passo e não faz nada, quanto mais feia a situação, melhor a “audiência”!!!! Ô vida!!!!! O que mais me interessaria é saber se alguém ou o “repórter cidadão” conseguiu salvar o gato, né?

  3. Concordo com Luci e Elisabete pois os bichinhos merecem ser socorridos, quanto aos bois, meu Deus já não basta a triste sorte que eles têm indo pra matadouros e muitas vêzes servindo de alimento pra fcriminosos que deviam estar no lugar deles? sofro por eles e nada posso fazer, é duro!

  4. Como alguém pode deixar seus bichinhos para trás, tenho duas cachorras e elas iriam comigo para onde eu fosse, nunca as abandonaria para morrer.

  5. Tô chorando com essas imagens,quinta feira de madrugada a água quase chegou aqui em minha casa me vi em uma situação terrível…meus pais queriam deixar meus gatos p trás,entrei em panico e por sorte a água ñ chegou…ñ sei o que seria,ficaria com eles provavelmente….é triste,o ser humano tem que aprender a respeitar a vida!

  6. uma pessoa recebe uma promoção e tem uma atitude dessas de dizer que se agua subisse mais “não ia ter jeito”. como uma pessoa assim passa numa entrevista de emprego, como alias recebe uma promoção?

    e quanto aos bois? não tinha como tirar? meu deus um alicate cortava a cerca com facilidade. eles não iam sair desgarrados pela rua. era só tirar um por um e conduzir a um local seguro.

    não estou criticando ninguem. também faço parte dessa massa de espectadores de merda da própria vida. se eu tivesse enfrentado a medica de meus caes, eles ainda estariam vivos.

    e quanto ao problema da enchente em si? é por boeiro entupido, ou construir um lago resolveria? e porque as comportas estão abertas? não deviam estar fechadas?

    e quanto aos mortos, descansem em paz !

  7. Eu jamais deixo os meus animais para trás. Eles irão aonde eu for. Esse negócio de não deu tempo é desculpa de mal pagador. Onde já se viu deixá-los nestas condições. Coitados, ainda bem que a natureza foi condescendente e não choveu mais.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>