• Home
  • Bombeiros resgatam golfinho ferido em Cabo Frio (RJ)

Bombeiros resgatam golfinho ferido em Cabo Frio (RJ)

1 comments

Um grupo de guarda-vidas do Corpo de Bombeiros de Cabo Frio (18º GBM), na região dos Lagos do Rio de Janeiro, resgatou um golfinho que encalhou na prainha do Morro do Vigia, no Peró, na orla da cidade, na quinta-feira (8). O mamífero morreu com sinais de afogamento, segundo o biólogo Jaílson Fulgêncio de Moura, do Gemm Lagos (Grupo de Estudos de Mamíferos Marinhos da região dos Lagos), da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Biólogo examina e tira as medidas do golfinho que foi resgatado na praia do Peró, em Cabo Frio (RJ). Foto: Jaílson F. de Moura / biólogo

O soldado bombeiro Eduardo Moreno, que participou do resgate, contou que o golfinho estava sendo monitorado pelos guarda-vidas, e que já tinha ido parar nas pedras antes de encalhar na praia.

“Ele estava nadando perto da arrebentação e acabou sendo jogado pelo vento e pela maré nas pedras. Nós o devolvemos para o mar, mas depois ele encalhou na prainha”.

Soldado Moreno disse que ficou surpreso com o golfinho.

“Tem uma época do ano que resgatamos muitos pinguins aqui, mas golfinho é mais difícil. E esse era bem grande, tinha mais de 2 m.”

O biólogo, que também acompanhou o resgate, fez a necropsia do mamífero e colheu material para analisar as condições da morte. Os exames vão ser realizados pelo laboratório da Fiocruz, no Rio de Janeiro.

“Ele morreu de parada cardiorrespiratória, tinha muita espuma no orifício respiratório, pulmão e coração. Tudo indica afogamento, mas não tinha sinais de rede nem linha, que são as principais causas de afogamento dessa espécie. ”

Moura também constatou que o golfinho era uma fêmea adulta e tinha indícios de ter tido um filhote recentemente. Ela era da espécie Steno Bredanensis, conhecida como golfinho-de-dentes-rugosos.

Fonte: R7

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Meu coração fica apertado quando leio notícias assim, neste caso não se pode fazer nada. Lastimo pelo filhote que precisa da mãezinha para o aprendizado de sua vida marinha.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>