• Home
  • Mônica Waldvogel defende as touradas durante programa Saia Justa

Mônica Waldvogel defende as touradas durante programa Saia Justa

59 comments

Por Lobo Pasolini (da Redação)

"Quando eu fui, pela primeira vez, a uma tourada na Espanha eu gostei", afirma a jornalista Mônica Waldvogel.

Em um dos últimos episódios do programa de TV Saia Justa, a apresentadora Teté Ribeiro levantou o debate sobre rodeios, que serviu de gancho para uma conversa sobre touradas. Teté disse a coisa certa. O bezerro que morreu em Barretos foi ‘assassinado’ e ela expressou a opinião de quem entende do assunto: que esporte não pode ter a participação involuntária de um ser vivo porque para um animal não humano aquilo não significa absolutamente nada. Sua opinião foi clara e direta.

Foi então que entrou no debate a jornalista Mônica Waldvogel, que disse não gostar de rodeios por estes serem ‘cafonas’, mas que amou a tourada a que assistiu na Espanha. Além de ter expressado uma opinião negativa em relação aos animais, é muito constrangedor ver uma jornalista conhecida se expressar tão mal e de forma tão tosca como ela o fez. Mônica admite que não sabe por que gostou das touradas, apenas jogou no ar algumas palavras aleatórias como ‘tradição’, ‘ritual’, de forma fragmentada e sem nexo, para dar alguma base intelectual à bobagem que disse.

Felizmente a opinião geral da maioria foi contrária a esses dois tipos de crueldade contra animais discutidos. A atriz Camila Morgado ficou mais ou menos na dela e Eduardo Moscóvis deixou claro como ele acha repugnante as touradas e os toureiros. Mônica ficou mal na fita e, se ela for uma pessoa inteligente, esse não foi um dia em que ela expressou isso muito bem.

Um dos problemas hoje em dia na mídia de massa é o que em inglês se chama de ‘punditry’ – um tipo de ‘opionismo’ sobre temas acerca dos quais as pessoas em questão não sabem nada, ou pelo menos não mais do que o espectador ou leitor. Em geral são opiniões pessoais de leigos com uma aura beatificada de opiniões especializadas.

O debate é bom, mas as pessoas precisam aprender que, quando ao emitirem suas opiniões na mídia, elas têm uma responsabilidade de contribuir para o debate e assumem também um compromisso com a ética. Não vale a pena criar simplesmente mais ruído eletrônico.

Assista ao debate:

About the Author

Follow me

Blogger, jornalista, videomaker, ativista vegano.


Deixe uma resposta para Benê Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. SEMPRE achei a Monica desligada, no mundo da lua. Acho estranho ela ser escolhida como apresentadora. Ficou rindo da morte do animal. Pena q ninguém a repudiou, oportunidade teve.

  2. Queimar pessoas em praça pública também já foi tido como “tradição” e nem por isso seguiu adiante. Ridículo uma “tradição” dessas seguir até hoje e ter pessoas dispostas a assistir e aplaudir! Absurdo!

  3. Mônica Waldvogel, do fundo do meu coração, você deveria trocar o seu confortável estúdio com o lugar em que todos os touros já estiveram nestes rodeios e touradas que não tem a menor gráça. Você não tem vergonha de falar esta merda em rede pública sua FDP(?), então VTNC Vagabunda!

  4. Nossa lamentável…depois que falou o que realmente pensava,
    ficou muito sem graça e querendo se justificar!!!Querendo tentar ser politicamente correta,dando desculpas.Mas gostei que os outrops participantes do debate não concordaram e deram suas reais opiniões.

  5. Como alguém com nível intelectual como dessa jornalista Mônica pode gostar e achar incrível ver um covarde (toureiro) ludibriar um animal inocente com uma capa, animal este que já entra na arena ferido ,cheio de espetos fincado em sua costas e no final ver esse covarde “toureiro” atravessando uma espada pela pele, carne e ossos até penetre em seu tórax e por fim dilacere o coração do pobre animal? Isso é uma atrocidade e burrice tamanha… tradição que envolve sofrimento humano ou de qualquer outro animal para mim é burrice , totalmente sem sentido!

  6. O execrável gosto pelo cruel

    .por Camila Teixeira, quinta, 1 de setembro de 2011 às 10:50.

    Como telespectadora antiga e, quando possível, assídua do Saia justa já acompanhei inúmeras transformações referente ao formato, apresentadores e linha de pauta do programa. Ontem, infelizmente, e pela última vez fornecendo audiência à atração, tive o desprazer de ouvir a apresentadora Monica Waldvogel se posicionar a favor das touradas occoridas na Espanha. Diz ter presenciado uma apresentação ao vivo do “espetáculo”e se indentificado com a cruel prática tão condenada por qualquer ser humano provido de ética e minimamente capacitado emocionalmente.

    Formadora de opinião (?), detentora de um horário tão nobre, deveria, por questão de caráter, mesmo que a vontade de externar tão estúpido gosto seja inevitável, não fazer isso num programa, até então, demasiado respeitado e sensato.

    O constrangimento dos outros presentes à tal declaração foi explícito! E o mais absurdo é o contexto em que tal posicionamento foi inserido: em uma semana foram veículados e denunciados dois casos extremos de maus tratos aos animais occoridos em rodeios na cidade de Barretos: um indefeso bezerro foi desumanamente estrangulado por um peão em plena arena; a manobra foi tão violenta que o animal teve de ser sacrificado. Em outra ocorrência, os extremos choques dispensados em um touro o deixaram aleijado das patas traseiras.

    Como jornalista de um canal tão acessado e de certa forma respeitado como o GNT, a tal apresentadora deveria entender que percebemos e valorizamos o caráter de um ser humano a partir da sua relação com os animais . Aplaudir um horrendo “show” como as touradas me causou tal indignação que em momento algum voltarei a assitir seu programa e muito menos elogiar suas colocações como cheguei a fazer por várias vezes.

    Espero que sirva como lição: quando quiser expor qualquer opinião irracional como essa, lembre-se que a senhora está sendo vista por muitas pessoas que ainda insitem em lhe dar alguma credibilidade.

    E à produção do canal GNT, minha sincera plena decepção

    .

  7. Realmente é decepcionante e triste constatar que pessoas, supostamente esclarecidas, compactuem com divertimento a custo do sofrimento de criaturas que sentem e sofrem como qualquer um de nós.

  8. Por um lado, valeu a pena. Pq os outros 3 se mostraram contrarios a visao dela, deixando ela, realmente, “mal na fita”. Viram a cara do Moscovis quando ela disse que adorou? A cara dele diz tudo, resume tudo. Valeu a pena pra mostrar que, cada vez mais, o numero de pessoas contra essas atrocidades esta aumentando.

  9. PARA A CAMILA:COMENTÁRIO 34
    AMEI O SEU TEXTO E O COMPARTILHEI!
    PARABÉNS!
    SOLICITO QUE VC ME ADICIONE NO FACEBOOK,OK?
    ABRAÇOS,
    Celeste Rêgo

  10. Coloca um touro em cima dela e pede para ela segurar por 8 segundos ou põe ela num campinho e manda o touro correr pra pegar. Vai ser tão divertido, Mônica… eu ia amar.

  11. Definitivamente essa monica deveria ser priobida de dar opinião. Que pessoa ridícula, sem nenhum conteúdo. Com certeza é menos inteligente que os touros.

  12. E a cara do Du Moskóvis que nem olha mais pra ela depois da declaração!!! Demais. Ela foi infeliz msm. Pq se foi pela questão “cultura” há tantas outras culturas bonitas da Espanha pra ser admirada – como o Flamenco por ex. Ela foi ver tb pra saber o que é aquilo ao vivo??? Pelo jeito não!
    Lamentável 🙁

  13. Desligue a TV ou troque de canal na hora do programa “saia justa” da GNT-Globo da que está deseducando a população brasileira ao defender os maus tratos aos animais (touradas) e desencentivar o uso da bicicleta que é um meio de transporte limpo e saudável!

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>