• Home
  • A verdade sobre os cães no Japão

A verdade sobre os cães no Japão

47 comments

Adriana Tanaka
adriana3410@yahoo.com.br

Eu moro no Japão há 20 anos e não vejo cachorro de rua, ou melhor, nunca vi. No começo fiquei super feliz por isso, mas quando descobri o porquê, meu coração ficou todo despedaçado.

Tem muitos que os amam mesmo, mais tem muitos que só tem por modismo! E como moda dura pouco, muitos acabam sendo sacrificados por eutanásia, paga por seus próprios tutores ou abandonados nos canis municipais.

Os muitos que não conseguem ser encaminhados para as ONGs (que se matam para tentar encontrar um novo lar), que entam salvar a vida dos animais, que morrem na câmera de gás.

Isso é muito triste, desesperador!

Querem um brinquedo, comprem um robô!

Horas depois que fiz esse comentário, o Mateus, fez um comentário, que me fez pensar no assunto, então resolvi relatar as coisas qu descobri. O comentário dele foi o seguinte: “mateus (31 de agosto de 2011, 19:48), disse: ‘Adriana, você tem como comprovar isso, com fotos, depoimentos? de uma forma que não vá te prejudicar com ameaças de processos? caso sim, envie uma matéria ao Anda, que poderá passar por uma revisão dos profissionais e ser publicada. Seria muito colaborativo pra causa animal'”.

Então, por isso estou enviando esses vídeos que, como já disse, são muito tristes e desesperadores.

Primeiro vídeo:

Esse é um programa da televisão japonesa tentando conscientizar o povo japonês para não comprar animais só por comprar, só por modismo,ou impulso. Na verdade esse vídeo é de 2008, um pouco velho. Mais parece que as coisas aqui não mudaram muito.

Espero que se vocês se interessarem por essa matéria, procurem saber se algo mudou mesmo, e Deus, queira que tenha mudado sim né?

É muito triste, parece que essa é a lei do Japão mesmo. Nessa reportagem pelo que entendi, todos os cães que vão para os canis aqui no Japão, permanecem lá por 3 dias. Depois se ninguém  procura por eles, ou se o próprio pessoal do canil não consegue encaminhar esses cães paras as ONGs a fim de serem adoção, eles acabam morrendo na câmera de gás mesmo. Como disse, parece essa parece que é a lei do Japão.

Mais para mim eu acho que a culpa na verdade é das pessoas que não tem responsabilidade, e desses malditos pet shops que tratam o animal como verdadeiros objetos. Na primeira parte desse vídeo, um senhor que trabalha no canil diz que os japoneses agem assim por impulso. Comprar uma coisa por ser famoso, por estar na moda, na mídia. (Niki Namono) não pensam em um cachorro, pensam em uma mercadoria, um kimono. Um outro senhor diz muito triste: “eles são vidas, não são coisas” (objetos).

Outra parte desse vídeo que também choca muito, é quando eles abrem uma porta e diz: Não costumamos mostrar isso, mais aqui é um lugar onde matamos os cachorros. O mesmo senhor com toda tristeza diz: “Depois que o animal entra nesse corredor, não tem mais volta” A apresentadora ri, sem graça e tenta esconder o choro como indgnada pela crueldade pedido desculpas. Isso é normal aqui, eles tem vergonha de chorar demonstrar seus sentimentos, mostrar que estão sofrendo. Para eles isso parece que passa como uma fraqueza.

Aqui parece que é bem diferente, pelo que eu entendi até agora. A maioria dos cachorros que vão parar nos canis são de idade entre 3 e 10 anos, filhotinhos quase não tem. Isso querer dizer que já ficaram um tempo com o animal e agora não os querem mais. Ou por algum motivo, por que os animais já estão ficando velhinhos ou doentes. Muitos tem colera. É dificil entender, mas o que eu sei é que pet shop e veterinário é muit caro por aqui.

Aqui os cachorros não ficam nas ruas solto procriando. Nunca vi um vi um cachorro de rua e muito menos uma cachorra com cria.

Nos pets só tem filhotinhos mesmo e é um cachorrinho mais lindo que o outro. Todos que eu vi até agora, eram de raça pura. Um verdadeiro comércio.

Aqui cada um vale entre 80.000 a 130.000, 140.000 Mil ienes, tanto para gatos quanto para cães. E Olha que isso não é pouca coisa aqui não. Se aparece uma atriz na mídia com um filhotinho, pronto já vai as pessoas irresponsáveis, de cabeça fraca comprar a mesma raça, e fazer moda.

Eu mesma ganhei um filhotinho de do meu ex-namorado japonês, ele simplesmente chegou com o filhotinho dentro do carro,e me deu. Me disse que era presente, sem nem mesmo ter me perguntado antes se eu queria o animal ou gostava de animais se eu tinha como ficar com o animal. Já pensou se eu não quisesse ficar com o cachorro?

E o que mais me espantou foi, que o namoro não deu certo. Nós perdemos contato e só depois de quase 8 anos eu consegui ter contato com ele de novo. Em uma conversa por telefone eu disse brincado que eu estava bem, casada com dois filhos. Mais que o nosso filho também estava muito bem, me referindo ao cachorro. E ele num espanto me perguntou: Você ainda tem o cachorro? Deus, o que ele queria que eu fizesse com o cachorro?

Eu acho que a pior coisa que acontece no Japão é que existe muitas pessoas solitárias e por isso vão em busca de um animal. Mais na verdade, precisamos saber se a busca desse animal é só para tentar resolver as suas próprias solidão, ou é por amor ao animal mesmo. Por que no site de doação de animais, não dá para entender o que levou ao abandono desses cães. Alguns até tem  história, porque foram parar aqui.

Clique  no Kandi em baixo do Top, esses são os animais que estão para adocão: http://www.satoya-boshu.net/keisai/d.htm

Aqui também tem sempre as mesmas historinhas que estamos cansados de ouvir: não podem ficar mais com o animal porque mudança para apartamento; o filho tem alergia; estão se separando; mudaram de emprego; e outros blá blá blá dos irresponsáveis.

O vídeo seguinte é horrível, pois mostra os cães na câmera de gás sendo mortos. A apresentadora até se emocional e se sente mal no final:

 

No vídeo abaixo, a primeira cena é de uma mulher que leva um cachorro para um canil e a funcionária desse canil diz a mulher: “É praticamente impossível que esse animal consiga encontrar um novo tutor e sendo assim ele vai morrer na câmera de gás”, ao mesmo tempo pergunta para a mulher: “A senhora tem consciência disso? Pode assinar um termo de responsabilidade que está sabendo isso?” A mulher diz que entende e assina, que para ela pode ser, tanto faz.

A japonesa que trabalha nesse canil faz um trabalho muito lindo. Ela tenta de um jeito meio complicar dificultar a entrada dos animais no canil. Tenta fazer que as pessoas pensem bem antes de deixar o animal, por que depois não vai ter mais jeito, os funcionários do canil não vão poder fazer mais nada para salvar o animais e eles serão mortos. Isso ela já faz na intenção de tentar salvar a vida de alguns cães que vão parar no canil onde ela trabalha. Ela tira foto dos animais e manda para as ONGs. Fica nas costas dela uma responsabilidade horrível de ter que escolher quais estão em melhor estado de saúde, os mais bonitinhos, que vão conseguir ter mais chances de serem adotados, em uma parte desse programa, ela fica examinando um gatinho e com o coração apertado ela diz: “Ai o que eu faço?”

Ela também faz palestras nas escolas, conscientizando as crianças a cuidar bem dos animais e não os abandonar. Tem uma parte desse vídeo que é linda,  ela mostra um cachorrinho para as crianças e coloca as crianças para ouvir o coraçãozinho do animal e diz: “Escutem bem as batidas do coração de um cachorrinho, e se o coração dele esta batendo é porque ele está vivo. Você tem que escutar o coraçãozinho dos seus cachorinhos, e ficar com ele até a última batida”.

É muito complicado de entender a cultura japonesa, por um lado é lindo, mas também por outro, eles são frios.

O próximo vídeo fala um pouco de com está a situação atualmente. Esse vídeo é de 2010 e diz que eles estão fazendo mais palestras, feiras para adoção, tentando conscientizar mais as pessoas a terem responsabilidade.

Tem uma parte desse vídeo em que eles fazem uma palestra em uma escola de jovens, onde eles falam e mostram em um vídeo de como acontece todo o processo  com o animal depois que eles vão para no canil. Falam do choro do animal,das dores, do desespero, da perda da vida e que somente sobra a coleirinha do do animal. Para quem entende bem japonês, e ama animal isso é muito doloroso.

Espero ter ajudado de alguma forma sobre o que acontece no Japão com os animais. No youtube é possível encontrar mais vídeos como esses. Mas publico um último vídeo que trata-se do relato de um brasileiro que também mora aqui no Japão e conta a mesma coisa:

Na verdade eu sempre gostei muito de animais, mas somente agora estou entrando mesmo nesse mundo de maus-tratos, tristeza e abandono. Ainda estou chorando muito! Eu assisti esse video no youtube e depois pesquisei e achei os outros. Vou fazer a minha parte! Como estou longe do meu país, vou tentar ajudar alguma ONG do Brasil com um dinheiro quando eu puder e aqui vou ser voluntária em alguma ONG também.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. muito triste 🙁 eu amo o japão mas é como dis né é complicado o japão tem um lado lindo mas também um lado sombrio certo 🙁 acho que isso deve muda no japão as pessoas japonesas tem que pensas andes de compra uma coisa só por modismo 🙁 espero que um dia isso mude

  2. Falta de humanidade é geral – aqui jogam o animal fora porque late muito, a criança tem alergia , alguém na casa não gosta, etc – sempre o mais fraco dança.
    Sempre criei e mantive cães- amigos fieis sempre-

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>