• Home
  • A dupla tragédia de Ariel

A dupla tragédia de Ariel

35 comments

Quem não se emocionou com a situação de Ariel não deve ter coração. Foi muito triste ver o grande leão sendo paralisado progressivamente por uma doença degenerativa até a morte por insuficiência respiratória. Seu fim foi amplamente divulgado pelas diversas mídias.

Ariel foi um símbolo de caridade humana? Vítima de exploração? Não sou eu quem vai julgar. Mas acho que sua história trás uma tragédia por trás da tragédia aparente.

Foto: Divulgação

O que estava fazendo Ariel no canil de um sítio, junto com um tigre? Quantos leões vivem hoje enjaulados em fazendas para o orgulho cruel de seus tutores? Quantos ainda vivem sus vidas de horror em jaulas de circo?

Lugar de leão não é em canil. Leões, tigres, onças, macacos, aves existem para viver em espaços abertos, grandes, onde possam circular com liberdade. O Ibama informou esta semana que existem 100 leões e 20 ursos que não têm para onde ir. Dois desses leões foram para o já lotado Rancho dos Gnomos, um sítio transformado em santuário para animais abandonados especialmente em jaulas de circos.

Eu acho que esses animais precisam de terra espaçosa (isolada por cercas) para que vivam o resto de suas vidas com a dignidade que lhes foi negada. Terra de verdade, enormes santuários onde possam circular sem a ameaça do homem. Lugares onde possam ter uma tarde em paz sob o sol com água fresca e comida garantidas. Uma aposentadoria oficial paga por nossos impostos, que todos os dias entregamos para essas intermináveis quadrilhas de corruptos.

Se pudesse destinar o que pago de impostos, eu diria: comprem terras, terras aos montes, e as entreguem para os animais que precisam delas. É uma pequena compensação para milênios de barbárie e crueldade.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. No comentário 5, a Alanis coloca um vídeo onde podemos realmente comprovar que de ‘Instituto’ ou ‘santuário’ o lugar não tem nada… os animais são criados em espaços cimentados menores até do que os que ficam no zoológico.. No vídeo do comentário 9 vê-se claramente que aquilo é um comércio, pura e simplesmente, uma ‘vitrine’ de exposição dos explorados e indefesos bichos. Vira e mexe vemos matérias com o rancho dos Gnomos e aquele senhor argentino (se não me engano) de Sorocaba que cria primatas que sofreram maus tratos em circos, etc e que tem, realmente, um santuário de animais. Aquilo sim, com espaços na natureza, gramado, terra, mas cercados é que pode ser uma saída digna para criar esses anjos, já tão sofridos e abusados pela ganância humana.

  2. Hélio, muito corente sua opinião… mas qto a castração, penso que seria melhor castrar alguns humanos que procriam desenfreadamente e depois invadem o habitat desses animais para construir condomínios ou até mesmo invadir essas áreas ainda intocadas. Por isso vemos tantos bichos invadindo residências Brasil afora, e pq não dizer mundo afora, sendo atropelados em rodovias.. Bom, mas esse é um outro assunto, só quis dizer que não concordei com o fato da castração.

  3. Pobre Ariel, foi exposto desde do dia em que nasceu, com saúde ou doente, como em um reality show. Tiraram suas garras, sua dignidade. Esses “donos” podiam até gostar dele, mas tb o exploraram ao extremo. Chocante as imagens do Ariel debilitado, deitado em uma sala de estar sobre um colchão tamanho solteiro, com as patas apoiadas sobre pacotes de fraldas. Essas imagens foram para o mundo inteiro. Se os donos não sabiam como cuidar e não tinham condições, como o IBAMA autorizou? Descansa em paz leão de Deus, aqui na terra vc pagou seus pecados

  4. Ow desculpa, o Sr que eu citei no comentario 21 é o Dr. Pedro Ynterian que tem coluna aqui… q falta de atenção a minha, perdão!!! e ele é cubano!! rsrs
    Ah… somente um adendo: para as pessoas que estão defendendo tanto os ‘criadores’ do Ariel, o gde problema discutido aqui é o LUGAR onde eles são criados… vi vários vídeos e fotos do Ariel na piscina, na sala, na banheira, na cozinha… esse não é lugar de animal selvagem, mas como eu havia dito, lugares mais rusticos, um campo cercado por exemplo e não uma casa para serem criados como animais domésticos.. e que os lugares que eles ficam para serem ‘observados’ são impróprios.

  5. Não defendo, e não julgo, só acho que lugar adequado é aquele onde tem cuidado, carinho e atenção, acho que o amor que ele demonstrava pelos donos dispensa qualquer comentário, os donos lutaram até o fim para que isso não acontecesse , ao invés de comentários maldosos poderiam prestar solidariedade por saber que a dor de perder uma pessoa da família pois foi isso que ele se tornou é muito grande, e vamos parar de reclamar do que as pessoas fazem se o lugar é pequeno ou grande, se é de cimento ou terra, dizem que a beleza está nos olhos de quem ve e a maldade também, enquanto eles faze isso tem muita gente de braços cruzados julgando o que é bom e o que é ruim p eles mas nada funcional, chega de palavras bonitas e de teorias precisamos de pratica e de pessoas que estejam dispostas a cuidar mesmo sem condições sem o espaço adequado mas que lutem por isso .

  6. Gente, pra que tudo isso? As entidades, santuários, sei lá o que, fazem o que podem. A obrigação de cuidar, tratar e readptar esses animais deveria ser do Ibama que nada faz.

  7. Mara Lucia, eu concordo com vc que muitos humanos deveriam mesmo ser castrados! Mas muuuuuuitos mesmo!!

    Mas quanto a animais como leões e tigres no Brasil, qual solução vc vislumbra se não concorda com a castração?

    Eles continuariam a se reproduzir no Brasil, em Cingapura, Ucrânia, Portugal, EUA, etc e perpetuaríamos o problema das super população desses animais fora de seu hábitat?

    Teríamos de importar zebras e antílopes para alimentá-los em reservas de grande extensão territorial aqui no Brasil?

    Mandar leões de circo e idosos para o Serengueti seria condená-los à morte. Deixar leões e tigres num canil do Paraná, também não me parece ideal.

    A legislação brasileira faz pouco caso dos animais que não são da nossa fauna e não tem vontade nem competência para cuidar (muito menos readaptar) esses bichos para a vida selvagem.

    Ou então teríamos que separar machos e fêmeas para que não mais procriassem? Mas daí eles continuariam a viver de forma não natural, não acha?

    Enfim, estou apenas curioso para saber o que as pessoas neste fórum sugerem para resolver o problema e não empurrá-lo com a barriga, porque na minha opinião esse problema não vai acabar nunca e daqui a vinte, trinta anos vamos ver casos de leões, tigres, elefantes, girafas, etc perdidos ou maltratados por aí.

    Eu acho que lugar de leão é na savana, no museu de História Natural ou em fotografias e não em canis, em ranchos nem em reservas fora da África.

    Abraços a todos!

  8. Maria Lucia concordo com voce em genero e grau, principalmente na castracao de humanos, principalmente aqueles que invadem o habitat dos animais selvagens!! So assim o planeta teria uma chance de sobreviver. O que faz um Leao no BRASIL??!! So perguntando para seres humanos, castrados somente de inteligencia, que querem explorar essas magnificas criaturas.
    Mante-los , mesmo com todo amor, carinho, cuidados…fora do habitat natural deles nao basta e é puro desrespeito e ignorancia humana
    Ja pensou se a moda pega e todo “serumano”(!!) inventa de criar seu leaozinho no fundo do quintal?? Vai ser uma subespecie de leao vendido ja castrados e sem garras, que tal sem dentes???!!! O problema vai ser para os protetores recolherem os abandonados nas vias publicas, assim como os “serumano” fazem diariamente com seus caes, gatos, cavalos….
    Pobre Ariel! Pobres dos seres humanos que morrem de inveja dos animais e querem sua proximidade a qualquer preco, por que no fundo so a eles, os animais, pertence o tao sonhado paraiso e alguma chance na evolucao Darwiniana.

  9. Sinceramente, ao insistir com estas matérias maldosas que julgam tendenciosamente a família que amorosamente cuidou do Ariel, a ANDA está prestando um desserviço à causa animal. É desanimador ver que pessoas que deveriam estar de um mesmo lado estão sendo levadas a um confronto, radicalização e peste emocional que em nada vem acrescentar à causa. Todos que se interessam pela pela mesma deveriam poder ter acesso à informações bem amadurecidas,nada precipitadas e fornecidas por pessoas cuja única intenção fosse a de REALMENTE ajudar. Formar opiniões desagregadoras certamente demonstra falta de sabedoria.

  10. Nossa, como pode…tem gente que adora falar o que quer sem nem pensar, pelo que eu vi, o Ariel e os outros animais pareciam ser bem tratados, acho que o pessoal da instituição fez tudo o que podia e talvez até mais um pouco por ele.
    Montem vcs então um santuário perfeito, ao invés de ficarem ai criticando, pelo menos eles estavam lá cuidando dele.

  11. Ariel era amado, tanto que ele tinha um quarto na casa só para ele, ele não vivia em uma jaula, seu tutores fizeram de tudo para ajudar qualquer um iria sacrificar, com chegaram a dizer alguns especialista, mais eles lutaram para salvar esse querido filho. como eles poderiam mandar matar seu querido filho quando ainda tinha esperança.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>