• Home
  • USP de Ribeirão Preto (SP) proíbe alimentar animais soltos no campus

USP de Ribeirão Preto (SP) proíbe alimentar animais soltos no campus

6 comments

A Coordenadoria da USP (Universidade de São Paulo) de Ribeirão Preto proibiu a guarda de animais soltos no campus. A medida, que veta alimentar os animais sem assumi-los, foi criticada por ONGs de proteção animal.

Conforme ofício enviado para diretores das faculdades do campus, fica terminantemente proibida a guarda. O coordenador do campus, José Moacir Marin, afirmou que a orientação é que, quem quiser assumir um animal, que o leve para casa.

“As pessoas não devem ficar alimentando, dando água para o cachorro e deixando ele abandonado, porque aí ninguém é responsável por ele”, disse à Folha. Ele afirmou não saber quantos são os cães e gatos.

Um censo de 2009, com apoio do Centro de Controle de Zoonoses, contabilizou 61 animais comunitários e 33 de funcionários moradores do campus (eles ficam só nas casas). Eram 26 cães e 68 gatos.

Cachorro em área próxima a uma das cantinas do campus da USP, em Ribeirão Preto, que proibiu a posse de animais. Foto: Edson Silva/Folhapress

A maioria fica próxima às cantinas. Os próprios funcionários, porém, duvidam que as pessoas vão respeitar a proibição. “Tem gente que compra comida para dar para eles”, disse o balconista Marcelo da Cunha, da Cantina da Filô.

Para Rinaldo Zugaib, da ONG CãoPaixão, não há como controlar o sentimento das pessoas. “As pessoas vão continuar alimentando. O que precisa é de fiscalização para evitar abandonos e controlar a população, com vacina e castração.”

Presidente da AVA (Associação Vida Animal), Maria Cristina Dias também critica o que chama de pouca fiscalização para o abandono de animais. “A USP nunca adotou uma política de controle.” A coordenadoria não respondeu às críticas.

Hospital
Já no HC (Hospital das Clínicas), ao lado do campus, a estimativa em 2009 era de 34 gatos e dez cães.

Um problema foi apontado pelo Centro de Controle de Zoonoses: há relatos de que os animais entraram em áreas restritas do hospital, além do fato de restos de comida serem deixados para alimentá-los, o que pode atrair outros animais.

“Quem alimenta esporadicamente o animal atrapalha, porque nem sempre é com ração adequada e não sabe se o animal já foi alimentado”, disse a chefe do centro, Eliana Colucci.

O órgão fez castração de animais em 2009 na própria USP. E, desde 2010, mantém uma parceria no campus para cuidar dos cães coletivos. Há quatro locais comunitários com animais castrados, vacinados e vermifugados.

Fonte: Folha

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. “não há como controlar o sentimento das pessoas” Para falar a verdade, é umas das únicas coisas para as quais não se achou uma maneira de controlar, pelo menos não sem causar problemas secundários.

  2. isso é certo ou errado? no caso do chile, a Redação do Anda disse que o certo é esterelizar e arrumar um lar. pois o fato de o coord. Moacir ter dito que quem quiser, leve pra casa, substitui a feira de adoção? na foto o homem está fumando, as pessoas pouco se importam com o cão. ali nada há de cão comunitário há sim abandono e preguiça. estudante de usp devia cuidar do campus em agradecimento por estar ali.

  3. Isso é lamentável! Novamente os animais são vítimas da ignorância humana.
    Presume-se que em universidades só existam pessoas “do bem”, mas vejo cada vez mais o contrário acontecendo. Deveriam sim, orientar a população sobre posse responsável e fazer feiras de adoção e continuarem a cuidar dos animais lá abandonados no campus, instalar câmeras em pontos onde são geralmente descartados.

  4. A Coordenadoria dessa Universidade precisa aprender e muito sobre a vida de maneira geral. Qual é o problema de alimentar os animais, já não têm casa, carinho, alimentos e agora esses idiotas não querem que comam o pouquinho que recebem de pessoas que tem um pouco de compaixão pelos mesmos. Estão dando um belo exemplo aos seus alunos. Parabéns.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>