• Home
  • Morador de rua, que vive nas calçadas, abriga cão com casa

Morador de rua, que vive nas calçadas, abriga cão com casa

8 comments

A rotina de Cabelo e Spyder é idêntica. Dormem lado a lado, acordam no mesmo horário e dividem em partes iguais o que conseguem para comer. São cúmplices e parceiros de uma vida quase miserável nas ruas de Campinas (SP). Mas, na relação entre eles, há uma clara inversão de valores: enquanto Cabelo, o homem, luta para se proteger do frio numa cabana improvisada de cobertores, Spyder, o cão, vive confortavelmente dentro da sua própria casa. “Ele vive melhor que eu”, brinca Cabelo.

Cabelo e Spyder também se assemelham na forma como se comunicam. Ao conversar com o homem, uma regra tem sempre de ser levada em conta: sem nomes completos, sem idade, sem história de família. “Quem vive na rua não tem essas coisas”. O cão, observando o diálogo sem emitir um reles latido, parece não deixar dúvidas de que concorda com o tutor. “Ele é meio desconfiado também. Não gosta de conversa”.

Cabelo vive nas ruas há mais de uma década. Foto: Henrique Nunes/ Especial para o Portal RAC

Com muito tato e paciência, descobre-se que Cabelo vive nas ruas há mais de uma década. Há dois anos e meio, ganhou a companhia de Spyder, um forte e bem cuidado rottweiler. “Foi presente de um amigo. E desde pequeno ele me protege. Ninguém tem coragem de chegar muito perto de mim por causa do Spyder. Assim, consigo dormir com mais tranquilidade”. De fato, o escudeiro apresenta invejável obediência. Só pousou para a foto, por exemplo, quando foi repreendido pelo tutor a parar de avançar sobre o repórter. “Se não tivesse preso, você já tinha levado uma mordida. Ninguém chega assim tão perto”.

A vida não está fácil para Cabelo, Spyder e a companheira Emília. Foto: Henrique Nunes/ Especial para o Portal RAC

Cabelo veio de Osasco a Campinas há um ano em busca de emprego. Não conseguiu nada, mas se recusa a pedir esmolas. “Quem quiser me dar algo, beleza. Pedir eu não peço, não”. Instalados próximo ao Mercado Municipal, no Centro, Cabelo e uma companheira de rua ficam sempre à espreita para ver se conseguem algo para comer nos arredores. E sempre, sem exceção, a parte do cão está garantida. “O Spyder come com a gente”, conta a mulher, magra e sorridente, identificada apenas como Emília. Quando o benefício vem em dinheiro, o destino é sempre o mesmo: cigarros e bebida. “Sem cachaça, morreria de frio”, revela.

A vida não está fácil para Cabelo, Spyder e a companheira Emília. Mas o coração de todos eles é grande. Há dois dias, uma cadela vira-lata se interessou pelo charmoso rotweiller do pedaço. De imediato, ganhou um nome: Neguinha. Pelo visto, eles terão mais uma boca para alimentar daqui para frente.

Fonte: RAC

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Estou praticamente com lágrimas. Esse relato demonstra que dinheiro não é tudo, o que vale é o carater! Que Deus proteja esse senhor, um exemplo pra essa sociedade de madames e bonzões!

  2. Nem precisei ler o texto todo, só as fotos me bastam para ver que eles são seres do bem e precisam ser ajudados. Eles merecem.

  3. Muito bom saber que com tanta dificuldade existe pessoas do bem…
    Pessoal de Campinas têm que castrar a cadelinha!!
    Ongs e protetores de Campinas ajudem o Cabelo.
    Por favor!!!

  4. Caramba, depois de ler isso, se eu fosse empresária, tivesse qualquer negócio que fosse, eu corria até todos eles, e oferecia uma casa com todo o necessário para se viver bem, gratuitamente por 3 meses no mínimo, e um emprego pros dois… Pq eles demonstram que querem melhorar de vida de verdade… e com certeza, se não passassem frio, abandonariam a cachaça… Peço a Deus todos os dias que um dia me dê a chance de poder ajudar pessoas e animais de bem como esses…

  5. Quem sabe com a publicação o rapaz consegue emprego…
    Melhor alguem castrar a Neguinha ou terão dezenas de boquinhas para alimentar..

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>