• Home
  • Onça-pintada mantida em cativeiro é entregue ao Ibama, no PA

Onça-pintada mantida em cativeiro é entregue ao Ibama, no PA

2 comments

Foto: Reprodução

Uma menina de 12 anos criava uma jovem onça-pintada num assentamento de reforma agrária em Pacajá, no Pará, de acordo com informações do Ibama. O animal foi entregue voluntariamente para o órgão pela família da garota no início desta semana, segundo relata a analista ambiental Silvana Cardins.

Ainda de acordo com a agente, o animal foi encontrado pela menina quando ainda era muito pequeno. A onça passou a ser alimentada pela garota e vivia solta até que, recentemente, por já estar mais crescida, começou a atacar animais criados pelos assentados.

Então a família da jovem construiu uma casa de madeira para deixar o felino amarrado. Como perceberam que não teriam condições de continuar criando o animal, decidiram entregá-lo ao Ibama. Esta semana a onça foi levada a um zoológico em Parauapebas. Ela tem um desvio de coluna, mas, segundo o veterinário que a examinou, o problema pode ser resolvido.

– Ela é muito dócil. Vai precisar de um acompanhamento para ver se dá para soltar – disse Silvana.

O Ibama, ao verificar que o animal não apresentava sinais de maus-tratos e porque ele foi entregue voluntariamente, decidiu não multar a família por manter em cativeiro um animal silvestre. Os agentes estão em Pacajá como parte da operação deflagrada para coibir crimes ambientais na Amazônia.

Fonte: Paraíba.com.br

Nota da Redação: Espera-se que, assim que a onça estiver devidamente reabilitada, seja reintroduzida à natureza – lugar de onde nunca deveria ter sido retirada.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. A onça foi retirada da natureza, pela menina, porque estava sozinha e era um bebê-onça e se fosse deixada para trás não teria sobrevivido porque eles necessitam da mãe para o aprebdizado junto â natureza. A família fez bem, na minha modesta opinião, eu só espero que ela se adapte a vida selvagem, o que vai ser difícil.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>