• Home
  • Crimes contra animais ainda são frequentes em AL

Crimes contra animais ainda são frequentes em AL

0 comments

O Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado pela sociedade em geral. Entretanto, há pessoas que não perceberam, ainda, o grau de relevância que o dia 5 de junho possui. Indivíduos que, a qualquer custo, intrometem-se em uma das maiores essências do ser vivo: a natureza. O desmatamento e o tráfico de animais silvestres ainda são considerados, atualmente, os crimes mais recorrentes em Alagoas, registrados pelo Batalhão de Polícia Ambiental (BPA).

Em entrevista à Gazeta de Alagoas, o comandante do BPA, coronel Lima Júnior, elencou os crimes mais corriqueiros, praticados em qualquer localidade do Estado. Segundo ele, as cidades que possuem maior incidência de desmatamento são Paripueira, Penedo, Pilar, Matriz do Camaragibe, São Luís do Quitunde e São Miguel dos Campos. “É bom ressaltar que esses municípios foram os mais afetados, mas todo mundo sabe que o desmatamento ainda é grande e pode ser flagrado aqui mesmo na capital. Desmatar área florestal é um dano gravíssimo ao meio ambiente e a prática já se tornou corriqueira”, afirma o comandante. Já que muitas espécies perdem seus habitats.

Operação policial flagra rinha com canários da terra

A apreensão de maior relevância, concretizada pelo Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), ocorreu em março deste ano, em uma chácara situada no município de Palmeira dos Índios, onde 43 pessoas, não somente de Alagoas, mas de Sergipe (SE) e da Paraíba (PB), foram autuadas em flagrante em um evento de rinhas de canários da terra. A operação contou com apoio do Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

“Por meio do serviço de inteligência, 25 homens do batalhão chegaram ao local e presenciaram esse ‘megaevento’, que tinha até convite. Foram apreendidos e levados para o Ibama 149 canários, além de serem realizados inúmeros TCOs. Só para ter uma ideia, apenas um pássaro era vendido pelo valor de R$ 100 mil”, detalha o coronel.

O BPA conta, atualmente, com 90 homens, três viaturas e três lanchas. Efetivo operacional considerado positivo pelo comandante. “Além desses 90, o batalhão possui outros 38 militares, que estão na reserva. Mas, graças a Deus, esse número é viável, pois conseguimos distribuir as equipes, tranquilamente, durante as operações que ocorrem quase todo dia em Alagoas”, confirma Lima.

Punições chegam a 5 anos de prisão

Quanto aos biomas, a pena varia de acordo com sua origem, conforme explica o tenente Anderson. “Quando uma terra devoluta é explorada, a pena é de dois a quatro anos de reclusão. No caso das unidades de conservação, que são os biomas protegidos pelo poder público, a pena varia de um a cinco anos”.

Apesar de o desmatamento constituir-se como um dos crimes mais corriqueiros no Estado, uma pesquisa feita no dia 26 de maio deste ano, pela Fundação SOS Mata Atlântica e pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), constatou que Alagoas foi um dos Estados que menos desmataram áreas de Mata Atlântica, nos últimos três anos. Da área total do bioma alagoano, que corresponde a 1.315.460 km², foram avaliados 1.288.989 km², o que corresponde a 98%.

De acordo com a coordenadora do Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, Márcia Hirota, o estudo comprova que a devastação é contínua e que os dados são um alerta para o incremento de políticas públicas que incentivem a conservação e a restauração do bioma.

Comemorações marcam Dia do Meio Ambiente

A educação ambiental também foi comentada pelo tenente Anderson. Para ele, é perda de tempo agir somente com apreensões e aplicabilidade de penas e multas. “Temos a obrigação de trabalhar uma educação voltada à natureza, e nada melhor do que trazer estudantes de colégios e faculdades ao batalhão, para que conheçam esse grandioso universo da fauna e da flora”, salientou.

“Os alunos têm a oportunidade de visitar nossos estandes e participar de trilhas ecológicas. Nestas trilhas, eles caminham com o equipamento apropriado e levam sacolas para recolher os lixos sólidos”, explicou Anderson, destacando que o material preparado para cada evento relaciona-se à faixa etária do grupo visitante.

Durante todo o dia de hoje, os militares do BPA farão atividades, na Orla da Pajuçara, próximo ao Hotel Sete Coqueiros, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente.

Fonte: Gazetaweb

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>