• Home
  • Safáris para matar onças no Pantanal eram feitos há pelo menos 15 anos, diz delegado

Safáris para matar onças no Pantanal eram feitos há pelo menos 15 anos, diz delegado

0 comments

A polícia acredita que os safáris organizados na fazenda Santa Sofia, de propriedade da pecuarista Beatriz Rondon, para caçar onças pardas e pintadas no Pantanal, no Mato Grosso do Sul, aconteciam há pelo menos 15 anos, de forma organizada.
Segundo o delegado Alexandre do Nascimento, da Polícia Federal de Corumbá, estima-se que 50 turistas participavam dos safáris por ano – uma média de cinco por mês. Num ritual, eles bebiam goles de cachaça misturada ao sangue das onças mortas. O delegado está reunindo provas da atividade e pode pedir a prisão preventiva de Rondon.

“Achamos na fazenda fotos com mais de 20 anos que atestam que as caçadas já aconteciam. Calculamos que há pelo menos 15 anos a atividade está sendo feita de forma organizada. Estamos esperando os laudos sobre os animais, armas e munições apreendidos na fazenda. Só depois de termos essas provas é que deveremos pedir a prisão preventiva dela”, disse o delegado ao GLOBO.

Essa é a cara da assassina, Beatriz Rondon tinha caça a onças como hobbie cruel. Foto: Reprodução/ TV Globo

A pecuarista, assim como as demais pessoas que aparecem num vídeo que registra uma das caçadas, pode ser indiciada pelos crimes de formação de quadrilha, caça de animais silvestres em extinção, posse de arma de fogo de uso restrito e munição importada. Ela já foi multada em R$ 105 mil pelo Ibama.

Nas imagens, pouca gente reparou, mas os caçadores bebem um líquido de cor avermelhada, depois que as onças são abatidas. É um ritual dos caçadores. O líquido é o sangue do animal abatido.

“O indiciamento dela é mera formalidade. Já poderia ter acontecido. Estamos reunindo todas as provas para ter um inquérito bem fundamentado. A pecuarista só não foi presa em flagrante, na semana passada, quando estivemos na fazenda, porque não estava lá”, disse o delegado.

De acordo com Nascimento, a caça às onças era uma espécie de hobbie da pecuarista. Nos safáris, ela reunia amigos para as caçadas. Os estrangeiros, que vinham dos Estados Unidos, Europa e Argentina pagavam entre US$ 5 mil e US$ 7 mil para ter guias, armas, transporte e hospedagem na fazenda.

“Ela não vivia dessa atividade. Caçar onças é um hobbie”, afirmou.

Apesar desta afirmação, os pacotes para os safáris eram vendidos no site da Fazenda Santa Sofia.

O vídeo que mostra as onças sendo abatidas foi feito por um estrangeiro e era divulgado na internet como propaganda dos safáris. As imagens mostram uma onça parda e uma pintada sendo abatidas com tiros na cabeça. No vídeo Beatriz, aparece após uma onça ser mortas. Ela diz que era uma “fêmea linda”, mas ela andava matando seu gado.

Mais uma vítima de prática cruel e criminosa na Fazenda Santa Sofia. Foto: Reprosução/ TV Globo

“Nas imagens, pouca gente reparou, mas os caçadores bebem um líquido de cor avermelhada, depois que as onças são abatidas. É um ritual dos caçadores. O líquido é o sangue do animal abatido misturado com cachaça. A própria Beatriz aparece nas imagens bebendo”, explicou o delegado.

Beatriz Rondon é conhecida na região onde os safáris eram realizados. A dona da fazenda Santa Sofia também foi presidente da ONG Ambiental, que promovia a defesa ambiental do estado do Mato Grosso do Sul. Rondon conseguiu que sua fazenda fosse reconhecida como Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), o que implica que ela teria conservar a diversidade da área, recebendo em troca isenção de alguns tipos de impostos. Ela também recebia para cada boi ou vaca atacado e morto pelas onças que estavam em sua propriedade.

Durante a vistoria na fazenda da pecuarista, na semana passada, a Polícia Federal apreendeu galhadas de cervo, dois crânios de onça, uma pele de sucuri de 3,5 metros, cinco revolveres calibre 38, uma pistola 357 (uso restrito) uma carabina, dois fuzis, caixas de munições, dois alforjes e turros, espécie de tubos, que quando assoprados emitem sons iguais aos emitidos pela onça e atraem os animais.

Renê Seufi, advogado de Beatriz Rondon, disse que sua cliente não promovia caçadas e nem tinha interesse nesse tipo de atividade.

Fonte: Globo

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Todos devem ser presos, se acabar em pizza novamente, será o fim para as onças e cervos!
    Quanta pobreza de espírito! Covardia e crime hediondo contra nossos irmãos!

  2. Pior que isso não vai dar em absolutamente NADA! Estamos cansados de protestar, assinar petições e afins e um governo que não presta pra NADA deixa esses assassinos soltos por aí para matar, mutilar e esfolar nossos animais.
    É uma vergonha isso acontecer há 15 anos e essa porcaria de delegacia, governo ou sei lá o que mais, NÃO FAZER NADA!

  3. CONVENHAMOS, a falta de discernimento das autoridades ambientais brasileiras, a inocência deles, parece-nos muito estranhas.
    A CARA de pau que vemos na foto é uma sem vergonha de marca maior, obteve insenções, pagamentos por gado morto e resolveu empreender no rendoso ramo dos safáris.
    PENSO que os defensores dos Direitos Animais já não teriam dúvidas sobre o mau carater dessa mulher, partindo so simples fato de que ela é uma PECUARISTA.
    PECUARISTA é uma pessoa que vive da reprodução, tortura e tráfico de animais escravos, sob o ponto de vista de uma ética universal é bandido.
    INFELIZMENTE nossa sociedade primitiva concebe pecuarista como empresário normal, mas para nós que somos abolicionistas animais, ser pecuarista é ser infrator.
    ESTA bandida safada que vemos na foto é infratora tanto da ética protetora dos animais domésticos, como é também infratora das fraquíssimas leis ambientais brasileiras.

  4. Pena que este advogado está defendendo isto..mas é aquele negócio, por dinheiro….vende até a mãe…Em MS é uma tremenda vergonha isso acontecer…e há advogados para defender tamanha #$@@#

  5. Gentalha de quinta categoria essa maldita merece pagar caro ser presa e perder esta fazenda que deveria se transformar em algum santuário para animais capturados. A justiça precisa agir não queremos mais esperar.

  6. Deveria ter uma pena mais severa. Ela e os outros tem que pagar por cada animal que matavam, pelo sofrimento de cada um desses bichinhos. Quanta crueldade”

  7. “safáris organizados na fazenda Santa Sofia há pelo menos 15 anos”?

    Vergonhoso às autoridades ambientais brasileiras. 15 anos nada, absolutamente na-da foi verificado?

    15 anos de crimes, matando de animais e 15 anos que meus impostos não foram respeitados com o destino que deveria ter: proteção à fauna brasileira; apreensão de armas e captura de criminosos que ferem leis de proteção animal.

  8. A JULGAR PELA VOTAÇÃO DE ONTEM DO NOVO CÓDIGO AMBIENTAL, COM O LOBY FEITO PELA BANCADA RURALISTA, O “””NOSSO QUERIDO GOVERNO””, VAI MESMO CONSEGUIR AGRADAR Á TODOS OS VAGABUNDOS QUE VIVEM ÁS CUSTAS DOS ANIMAIS !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! fica a pergunta :
    -E NÓS ,PESSOAS DO BEM , COMO FICAMOS NESSE PAÍS MEDÍOCRE ONDE OS ANIMAIS SÃO COMIDA???

  9. Para quem não sabe, eu lembro que a Constituição Federal prevê a modalidade de Desapropriação Confisco para o caso de utilização de propriedade para fins ilícitos.
    Voltando à realidade, ainda que ela seja condenada pelo crime ambiental de caça ilegal ela nunca será presa. E mais, uma multa pequena de 105 mil reais não é nada. Então, para quem é ambientalista, se por acaso você mora no Mato Grosso do Sul, pressione as autoridades (especialmente o MP e o IBAMA) a requerer a desapropriação da propriedade da dita cuja sem nenhuma indenização(lembrando que há também a desapropriação por interesse social, só que nessa há indenização). Com certeza isso será mais eficaz que todo “o rigor” da Lei dos Crimes Ambientais!!!!

  10. Esta mulher que não honra o sobrenome que tem, que segundo dizem é sobrinha neta de Candido Rondon, pessoa ilustre que prestou relevantes serviços a nação. Gente desta especie nem deveria ter nascido.

  11. ME DESCULPEM A SINCERIDADE MAS OS FILHOS DA…..VÊM DE OUTRO CONTINENTE PARA MATAR NOSSOS ANIMAIS; E ESSA PESSOA TEM QUE SER PRESA.

  12. não to vendo vendo nenhum ambientalista defender os direitos dos seres humanos que são assassinados todos os dias nas favelas e no campo, e são assassinados pela fome ,pelo desemprego, por falta de um programa de saude etc… e tambem quando se revoltam contra essa situação são assassinados pelo estado e não tô vendo ninguem defender essas pessoas. e agora estão com essa de defender os direitos dos animais deixem de ser hipocritas.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>