• Home
  • Boi se joga no mar para fugir de farra em Governador Celso Ramos

Boi se joga no mar para fugir de farra em Governador Celso Ramos

0 comments

Por Giovanna Chinellato  (da Redação)

Um boi agoniado suicidou-se na madrugada desta sexta-feira (22) para fugir da farra no município de Governador Celso Ramos, SC. O caminhão em que o animal se encontrava abriu as portas e o boi, ao contrário do esperado, partiu para o lado do mar e não dos farristas. Ele não foi mais visto, o que, para os moradores, significa que se afogou e está na hora de conseguir um novo boi. A farra do boi vem acontecendo diariamente desde o carnaval em diversos municípios catarinenses, apesar da proibição.

O número da Polícia Militar, responsável por averiguar as denúncias de farra, estava ocupado desde 1h da madrugada de anteontem em Governador Celso Ramos e na capital, Florianópolis. Ativistas infiltrados informaram os locais de farra a ativistas de plantão em frente ao telefone, o que, porém, não foi suficiente para resgatar os animais. Em Governador Celso Ramos, uma única viatura policial fez quatro rondas durante a noite, sem sequer averiguar os agrupamentos de 400 pessoas no bairro principal da cidade, Ganchos de Fora.

Os farristas organizam-se em grupos e compram cada grupo/ bairro um animal. Eles caminham pela cidade com camisetas incitando a farra, com frases como “brincadeira do boi, tradição sem limites”, “O ministério da saúde adverte: beber bebida alcoólica faz mal à saúde. Foda-se o ministério!” e “Somos nativos não somos turistas, quem manda aqui é nós farristas.”

Até domingo, a expectativa é de mais bois mortos em todo litoral catarinense. A prefeitura de Governador Celso Ramos colocou compensados de madeira em frente às portas de vidro do prédio para evitar que elas quebrem caso o boi tente fugir por ali, o que mostra a conivência de quem rege à cidade perante essa atividade violenta que é crime previsto na Lei Federal 9605/98 e acordo de Ação Civil Pública de n.o 023.89.030082-0.

Conivência: Prédio da prefeitura com barricadas nas portas para evitar que o boi "danifique o vidro"
Pichação em Governador Celso Ramos, Atolados é o nome de um dos grupos que promove farras
Camiseta de apologia à Farra do Boi na Praia do Santinho, Florianópolis

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. COPIEM E COLEM EM BLOGS, SITES POR AÍ. NÃO adianta xingar. E nem ficar c/ raiva de sulista ou de Santa Catarina. Tem uma moça aí q falou q é de lá e q tem vergonha de ser de lá. É o mesmo q se declarar culpado pelo q acontece de ruim na rua na região q a gente mora. Temos q espalhar esta notícia e acrescentar um comentário q o Governador do Estado de Santa Catarina tome providências pq conforme provado, o prefeito de Governador Celso Ramos é um zero à esquerda. Então, mãos à obra. Se cd um de nós copiar e colar em 3 lugares, pedindo prov. do Gov Sta Catarina, quem sabe ele faz alg coisa

  2. ELE ESTÁ NO FACEBOOK É RAIMUNDO COLOMBO VOCE CLICA EM CURTIR DAÍ PODE ESCREVER MAS LOGO EM SEGUIDA REMOVEM O Q VOCE ESCREVE.

  3. Isso é ignorância pura, cadê a Sociedade Protetora dos Animais da região que não toma uma providência… Vamos divulgar!!!!

    “O que importa não é o grito a ira dos maus mas o silêncio dos bons”.

  4. Por quê ngm + escreveu nada? Ânimo pessoal!! Vamos lá! Vamos gritar vamos nos irar pelo menos no computador pode! Vamos copiar e colar por aí, nos links + improváveis!

  5. TRADIÇÃO AÇORIANA VIVENCIADA COM EMOÇÃO, BRINCAMOS COM RESPONSABILIDADE, RESPEITE NOSSA TRADIÇÃO!!!!!!!!!!!!! a nossa brincadeira vemm desde os imigrantes açorianos acontecendo na ilha e no litoral de sc, tradição que se fosse apoiada pela prefeitura ou pelo governo do estado com regras e leis como tentaram fazer em ganchos, iria dar certo sim, nao sou de ganchos, mais acho o pessoal de la muito unido em relação a isso, voces só sabem criticar, pois nao vivencia a festa nao tem o sangue açoriano, isso nao se ensina, ja vemm no sangue, lembro que quando era pequeno meus pais nao deixavam eu ir, nao porque eram contra muito pelo contrario, quantoss 50 reais sairam daquii de casa pra trazer o boi, eles nao deixavam eu ir porque era perigoso, sempre acompanhava a farra de dentro do muro da minha casa pois acontecia no pasto q tem aqui, com 11 anos botei um tenis velho uma calça, camisa e caiii no mato, ainda lembro como se fosse hoje, de la pra ca todo ano eu vou e particio e ajudo, nunca fui pra ganchos na quaresma, participo no meu bairro que fica na capital mais nao vou citar o nome, um bairro que antes de começar a vim pessoas de fora, era um paraiso, tudo que ta acontecendo de ruim em floripa é por culpa desses vermes de fora que acham o dono do pedaço, e querem mandar, principalmente esses gauchos viados que sempre tao enchendo o saco, mais enfim, nossa tradição de forma direta ou indireta vai continuar, pode nao ser com tanta frequencia e festa como antes, nao vai acabar, enquanto corre o sangue açoriano, a tradição prevalecera, e se acabar jamais vou ensquecer, garanto que nenhum farrista esquece tds as farras que participou, a melhor historia presenciada no momento da soltada, QUEM CRITICA NAO CONHECE, QUEM CONHECE SE DIVERTE, VOLTA SEMPRE E NUNCA ESQUECE! FARRA DO BOIII SIMMMM SOLTAAA O BIXOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

    1. Caro catarinense, concordo com o que dizes por que entendo o que falas, tenho 19 e sou mulher e por essas e outras nunca fui sozinha a farra do boi, mas quando eu era pequena, até os 13 anos eu ia com meu pai e com minha mãe, era muito legal, as pessoas se uniam para juntar dinheiro, a espera pelo boi que era comprado na hora era grande e eu nunca presenciei maus tratos. É equívoco achar que quem apoia a farra do boi é a favor da violência, eu sou contra a violência e apoio a farra do boi.
      Realmente as pessoas de fora atrapalham, é aí onde começa a se perder a tradição. SANTA CATARINA seja no litoral, no planalto ou no oeste está perdendo a sua tradição com a chegada de gaúchos no litoral, paranaenses e paulistas, nada contra, mas acho que eles se querem vir pra cá deveriam tentar compreender a nossa cultura, que é possível continuar de acordo com a lei de proteção aos animais. Farra de boi não é sinônimo de violência!

  6. Uma pena um estado tão belo como Santa Catarina ter um evento tão estúpido como esse. Acho que está na hora do povo catarinense deixar de lado uma prática tão bestial como essa.

  7. Esperar oq? desse tipo de gente! … Mentalidade de amebas, isso sim. Aposto que para trabalhar, não agem com tamanha volúpia.

  8. Povo podre, pobre de espirito, sem noção e duvido se as autoridades não sabem desse massacre e se o inocente do boi se chegou no mar foi Deus que o orientou para o salvar de barbaridade pior, por isso e de outras atrocidades que estarei no dia 22 de janeiro no MASP.

    1. Claro, para você a cultura certamente deve estar na podridão da MASP. A tradição e cultura está nos grupos pequenos ainda nao contaminados pela mentalidade moderninha tão popular na MASP.

  9. Esses absurdos infelizmente acontecem no mundo todo! Não generalizem Santa Catarina por conta disso! Sou do Paraná e me idignei muito com o caso dos cães enterrados vivos em Guaratuba. Gente ruim existe em todo lugar!!! Por isso q devemos lutar para q o bem e a proteção aos nossos amigos bichos prevaleça.

  10. neusa mararia gonsalves, pense pra falar, tem muitos a qui como eu que lutamos contra farra do boi, puxada de cavalo e maus trato, se vc prestar atençao, esses vermes, lixo humano que fazem essa covardia, sao minoria mas agem com apoio dos governantes por isso tem força.

  11. Quando os governos incentivam pão e circo para o povão é nisso que dá. Quem sabe se as pessoas mais informadas e conscientes deixarem de fazer turismo e gastarem seu dinheiro em países, estados e cidades que não respeitam os direitos animais, haja uma solução.

  12. Eu tenho imenso orgulho de ser catarinense e apoio a farra do boi, acho estúpido proibir, deve-se porém organizar para evitar a violência que as vezes ocorre

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>