• Home
  • Sacrifício de animais saudáveis provoca controvérsia

Sacrifício de animais saudáveis provoca controvérsia

10 comments

José Roberto, delegado da Uipa, afirma que o sacrifício de animais não abranda o problema de abandono, mas causa efeito contrário (Foto: Maurício Sumiya)

Há alguns anos, a carrocinha era o principal veículo de retirada de animais das ruas. Eles eram levados para o centro de zoonose e depois de alguns dias, se o tutor não aparecia, eram sacrificados. Isto mudou com a lei estadual 12916/08, que prevê a proibição do sacrifício de animais que estejam saudáveis e que não apresentem nenhuma doença infectocontagiosa.

Este assunto gera muitas controvérsias entre as entidades de proteção de animais e a opinião pública. A professora Ivone Marques Dias, favorável à matança dos animais como solução para a superpopulação, acredita que, com essa lei, a Prefeitura perdeu a autonomia de recolher os animais e fazer seu controle. “Acabou com a liberdade de fazer a retirada e executá-los. Se eles estão soltos na rua, não é por culpa da Prefeitura. Os animais estão se multiplicando cada dia mais e transmitem inúmeras moléstias”.

O delegado da União Protetora de Animais, José Roberto de Almeida, afirma que o sacrifício de animais não abranda o problema de abandono, mas causa um efeito contrário. “A questão da morte não diminui a superpopulação, apenas a castração ajuda. Os animais só ficam mais fortalecidos porque existe mais comida, o que os deixa mais fortes e férteis. Isto já foi comprovado em vários países, como os Estados Unidos”.

Castração

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Mogi das Cruzes, em SP, realiza em média 100 castrações por mês. Para realizar o procedimento, o tutor do animal espera em torno de 60 a 90 dias e neste período frequenta palestras sobre guarda responsável e cuidados com o pós e o pré-operatório.

Um dos motivos do aumento desordenado de abandono é a guarda irresponsável, frisou o veterinário do CCZ, Jefferson Renan de Araújo Leite. “O número de cachorros de rua é pequeno. A grande maioria tem tutores que dão livre acesso para eles ficarem na rua”, informou. A castração é relativamente simples. A fila de espera para fazer a cirurgia no CCZ é longa e leva em média dois ou três meses.

Ele afirmou que a castração é uma medida de controle populacional que deve ser aliada a outras atitudes para surtir efeito. “Uma tutela responsável em que o animal tenha o acompanhamento de veterinário e seja bem tratado oferece uma vida mais longa, diferente dos que são abandonados, que têm vida mais curta”.

Hoje, o CCZ conta com 70 animais que em sua maioria foram recolhidos em áreas de risco. “Recebemos animais em fase terminal e somente esses podem passar pela eutanásia. Aqueles que recolhemos nas regiões de doenças ficam no centro e não podem ser doados e nem sair daqui. Não temos espaço para receber outros”.

Com informações do Mogi News

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Somente profissionais desatualizados e inertes tentam se esconder atrás da teoria de que a solução para a problemática dos animais é o sacrifício.

    Desde 1992 a OMS (Organização Mundial de Saúde) divulga que a eutanásia não resolve o problema e coloca como “única” alternativa para o controle populacional a castração.

    A prova disso temos no município e São Paulo. Nos anos 80 o CCZ de SP matava 800 animais por dia, nos anos 90 matava cerca de 500/dia, antes da lei estadual matava 50/dia (isso pq até o fim dos anos noventa a tecnica de eutanásia era a maldita câmara de descompressão, já no inicio dos anos 2000 o MP obrigou a utilização de injeção letal, então só era possível matar 50 cães/dia. Mesmo assim o problema nunca foi resolvido, as ruas nunca deixaram de ter cães, e eles nunca deixaram de procriar.

    Castração em massa, aliada de políticas públicas sérias e guarda responsável é a única solução para o problema.

  2. É dona Ivone Marques Dias,vamos sair matando mulheres também que tem fihos e suas proles também porque contribuem para a superpopulação mundial,que também vai gerar a falta de agua e energia no mundo,porque a população esta cada dia maior Vamos sair matando as pessoas que tem doenças contagiosas Os animais sentem o mesmo que nós seres humanos como somos chamados,porque de humanos não temos nada,pois humanos deveriam sentir compaixão,misericórdia,e isto nós não sentimos Tenha santa paciencia,ser favoravel a matança dos animais como solução para a superpopulação ,vá se matar voce para não contribuir com a superpopulação de humanos no mundo,principalmente pessoas maldosas como voce

  3. Ainda diz que é professora,tenha dó profissão de professora é enaltecedora pois ensina pequeninos a serem pessoas de bem,e pessoas como a senhora que não tem amor pelos animais ÑÃO SÃO DIGNAS DE RESPEITO

  4. IMPRESSIONANTE QUANTO PAGAMOS AO GOVERNO E ELES AINDA NÃO CONSEGUEM RESOLVER ESSE PROBLEMA. EXISTE FALTA DE INTERRESSE. CADA MUNICÍCIO DEVERIA TER UM ABRIGO SUPER EQUIPADO, PARA ABRIGAR TODOS OS ANIMAIS QUE FICAM NAS RUAS. FAZER A CASTRAÇÃO É UMA NECESSIDADE. PARA AS PESSOAS QUE DESCARTAM SEUS ANIMAIS, TERIAM QUE TER UMA PUNIÇÃO SEVERA, INCLUINDO DOAÇÕES DE DINHEIRO E TRABALHO PARA CUIDAR DESSES OS ANIMAIS ABANDONADOS. ALÉM DOS CACHORROS EXISTEM CAVALOS E GATOS. ENQUANTO NESSE PAÍS EXISTIREM CRIANÇAS ABANDONADAS, OS ANIMAIS NUNCA SERÃO TRATADOS COM DIGNIDADE.

  5. Tenha paciencia d. Ivone,onde ja se viu achar que os bichos tem que ser mortos, os bichos para mim tem mais valor do que uma pessoa como voce.

  6. A controvérsia é repugnante e deve ser banida sumariamente. Fico indignada com os doutos mestres da ciência que colocam-se ‘a favor e ‘a disposição do método mais rápido e nada simples de controle de natalidade – a morte !O direito ‘a vida é inalienável ‘a todos nós, humanos ou animais.Infelizmente, avançamos com passos de tartaruga enqto leis expressas deixam de ser cumpridas e a impunidade corre solta. Educar , transformar, castrar ,adotar e punir são ações pró-vida !Qto custa exercê-las?

  7. O Ivone, se os animais estao soltos na rua, e por causa da
    populacao sem cultura, e de uma prefeitura que nao
    puni os responsaveis.
    No Brasil, nao se mata nem marginal. estuprador, porque
    matar os innocentes?
    Voce e professora, fico imaginando o que voce ensina,
    aos seus alunos……..
    Acho que voce, e que deveria voltar a escola, para
    adquirir cultura.

  8. Enquanto CADA pessoa desse país não for educada sobre castração e posse responsável e não houver abrigos com capacidade pra receber os animais, porque por eventualidades da vida algumas pessoas podem ter que se desfazer de seus animais (morte, falência financeira, doença séria, acidente etc), a problemática de animais de rua não será resolvida.
    Enquanto o povo brasileiro continuar sem uma boa educação e achando que pode abandonar o cão, não castrado, na estrada mais próxima ou o gato, não castrado, dando os passeios noturnos, o problema irá perdurar.

  9. Sacrificio é a solução. Ninguém adota animais de rua por que sao velhos, doentes e feios. Castracao? Quem ira fazer? Nao ha saude publica para o povo quem dira para os animais.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>