• Home
  • Aposentada recebe cão que pode ser o desaparecido em voo no RS

Aposentada recebe cão que pode ser o desaparecido em voo no RS

15 comments

Cachorro parecido com ‘Pinpoo’ foi encontrado em Alvorada, na segunda (14). Tutora quer fazer exame de DNA para confirmar identidade do animal.

Foto de Pinpoo (arquivo pessoal)

Depois de um telefonema de um funcionário do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, a aposentada Nair Flores, 64 anos, teve renovada a esperança de encontrar o seu cão “Pinpoo“. Um cachorro muito parecido com ele foi encontrado na segunda-feira (14), em Alvorada (RS).

“Pinpoo” teria fugido antes de embarcar no voo que iria de Porto Alegre (RS) para o Espírito Santo, em 2 de março.

“Um cão foi encontrado por uma pessoa em Alvorada (RS), na rua, e foi levado ao aeroporto. Eles então me ligaram e fui ver o cachorro. Ele é idêntico ao meu Pinpoo, não rejeita meus carinhos, mas também não me reconhece”, afirma Nair ao G1.

Com muitos ferimentos, o cão encontrado em Alvorada foi levado a uma clínica em Porto Alegre, onde recebe atendimento. “Ele está em estado lamentável, muito machucado. Não me reconheceu e fugiu do banho, o que é estranho porque ele pedia para tomar dois banhos por dia. São coisas que ele não poderia esquecer em poucos dias. Mesmo assim tenho esperança que seja ele porque é igualzinho. Até a cortadinha que dou no pelo acima dos olhos, para não prejudicar a visão, é igual”, diz a tutora.

Segundo a aposentada, a idade dos animais também coincide. “Pelas unhas e pela dentição os médicos afirmam que esse cão tem cerca de 11 meses, como o Pinpoo. E o peso também é o mesmo registrado quando iríamos embarcar”, afirma.

Nair, que na ocasião do embarque pagou R$ 684 mais a caixa pelo serviço de transporte do animal à empresa Gol, registrou um boletim de ocorrência sobre o sumiço do animal. Segundo informações da Gol, ‘Pinpoo’ passou por todos os procedimentos previstos pela legislação, mas no trajeto para o avião forçou a grade da embalagem que o transportava e fugiu para a área restrita do Aeroporto Salgado Filho.

Exame de DNA

Sem o reconhedimento do cachorro, a única alternativa para descobrir se o cão encontrado é mesmo Pinpoo é, segundo Nair, um exame de DNA.

“Preciso urgente de um exame de DNA para saber se é mesmo o Pinpoo, porque ele está irreconhecível. Esse será, no entanto, um exame trabalhoso e caro porque temos que colher material da mãe de Pinpoo, em Guarapari, no Espírito Santo, e desse cachorro aqui em Porto Alegre”, explica.

A aposentada espera contar com o apoio de uma clínica que queira fazer o exame, apesar do transtorno do deslocamento até Guarapari (ES). ‘Pinpoo’ mescla as raças pincher e poodle, por isso tem este nome.

Fonte: G1

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Ela poderia dar lar temporário para esse cão e esquecer essa história de exame de DNA (mas seria justo cobrar da companhia aérea, também). Provavelmente o cachorro sofreu um grande trauma e por isso não apresenta o mesmo comportamento. Se for o Pinpoo, levado pra sua antiga residência, a tendência seria o comportamento normalizar.
    Mas caso ele não seja o cão, ao menos ela ajuda esse, tão parecido com o seu cão, a conseguir outro lar (ou pode considerar adotar esse).

  2. Penso que a companhia área tem que pagar pelo exame de DNA e por tudo o que essa senhora precisar! Nada mais justo afinal, pelas informações acima, o animal estava sob responsabilidade da empresa no caminho até o avião. Eles tinham que ter se certificado da sedação do cãozinho e da segurança da caixa de transporte. Espero que seja o Pimpoo, que esta história tenha um final feliz e sirva de exemplo as empresas aéreas para que tenham mais respeito e cuidado.

  3. ISSO LEMBRA UM CASO NA FAMILIA, O CACHORRO DO MEU SOGRO FUGIO E3 O CCZ, DE SP RESGATOU, MEU SOGRO FOI BUSCA-LO, E TROUSE OUTRO, IGUAL, SO TINHA UMA PEQUENA DIFERNÇA, Q NOTEI LOGO AO SE CHAMADA POR MINHA SOGRA, AS 2 PATINHAS DIANTEIRAS TINHA MANCHINAS BRANCAS, AO IR AO CCZ, FUI ENCAMINHA ONDE ELES FICAM POR 3 DIAS, E CHEGANDO LÁ CRITEI, CHINHOOOOOOOOOOOOOOOO, E LOGO ELE VEIO CORRENDO, COITADO DO OUTRO Q TEVE Q FICAR L´, ME DEU UMA TRISTEZA, SÓ Q EU MORAVA AM UMA CASA AP. E Ñ TINHA ESPAÇO, E OS MEUS SOGROS JA ERAM VELINHO PRA TER OUTRO CACHORRO, ESSES DIA VI UMA REPORTAGEM DE UM CACHORRO Q SOMIU, E DEPOIS DE MUITO TEMPO, A DONA RECEBEU UM TELEF. E FOI AO LOCAL ONDE PODERIA ESTA SUE ANIMAL, ELA AVISTOU DE LONGE E ELE VEIO CORRENDO NA MAIOR FELICIDADE, DANDO SUAS LAMBIDAS, É ESTRANHO O COMPORTAMENTO DO PINPOO, VALE A PENA TIRAR TODAS AS DUVIDAS.

  4. Acho que devido ao stress e os maus-tratos ele possa estar em choque…. quanto ao exame de DNA ,acredito que acompanhia aerea tenha que fazer afinal a falta de cuidados foi dela.
    O Animalzinho não é uma bagagem que pode ser extraviada e perdida … é uma vida !!!!!!!!!!!!!!1

  5. Espero realmente que este seja o Pinpoo, caso não seja ela deveria adotá-lo e não devolvê-lo as ruas, pois todos merecem um lar feliz. E não acredito que este cão tenha sido implantado pela Gol para tentar abafar o caso, confio muito que seja, aguardo breve notícias e positivas.

  6. QUEM TEM Q PAGAR TODAS ESTAS DESPESAS É A EMPRESA AÉREA, BANDO DE IRRESPONSÁVEIS. E ALÉM DISSO, TEM Q DEMITIR OS FUNCIONÁRIOS Q ESPANTARAM O CÃO.

  7. Acho muito difícil um cão esquecer sua tutora. Sei disso, pois, o caozinho de minha irmã sabe que eu estou chegando já no portão da casa dela e sai uivando para que abram a porta de casa.

    Um cão tem memória olfativa em altíssimo grau e mesmo debilitado eles tem ciência quando o tutor chega perto.

    O que essa Sra. esta passando beira ao imaginável. A Cia aérea trata o animal como saco de lixo e o sentimento dessa tutora como se fosse nada.

  8. QUEM TEM QUE SE RESPONSABILIZAR POR TODAS AS DESPESAS E TRANSTORNOS QUE A DONA NAIR ESTA TENDO É A GOL. AFINAL FOI ELA A RESPONSAVEL POR TUDO ISSO. ELA É QUE TEM QUE ARCAR COM AS DESPESAS.

    EU SINCERAMENTE ESTOU BOICOTANDO A GOL, NUNCA MAIS VIAJO NESSA COMPANHIA IRRESPONSAVEL.

  9. Só acho estranho ele não reconhecer a dona e ela estar confusa em saber se é ele ou não, mesmo parecidos tem marcações que a gente identifica o nosso animal.

    O cachorro não esquece seu dono.

  10. eu jamais precisaria de um teste de DNA pra identificar um dos meus peludos!!! bastava olhar nos olhos dele e pronto… mesmo sem abanar muito o rabo, eu saberia quem era ele!! lamentavel!!

  11. O cão pode estra em choque sim!! Porem , mãe que é mãe jamais ficaria na duvida se é seu filho ou não…
    Acho que ela não tinha muita ligação com seu cachorro.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>