• Home
  • Ativistas aproveitam Carnaval para fazer campanha em defesa das capivaras

Ativistas aproveitam Carnaval para fazer campanha em defesa das capivaras

4 comments

Foto: reprodução EP Campinas

Um grupo de  ativistas tem chamado atenção durante a programação de Carnaval em Campinas, carregando faixas que condenam uma decisão da prefeitura de abater 20 capivaras confinadas no Lago do Café há mais de dois anos.

Segundo um dos integrantes, o professor João Manuel Aguilera, o grupo é de ativistas “independentes”. As cinco pessoas já passaram por alguns pontos da cidade, como prefeitura e o próprio Lago do Café, sempre com as mensagens.

Aproveitando a concentração de pessoas no Carnaval, são facilmente achados nos eventos. Estavam presentes na abertura dos desfiles oficiais nesta sexta-feira (4) e acompanharam o bloco Tomá na Banda neste sábado (5).

Foto: reprodução EP Campinas

As faixas dizem frases como “As capivaras morrem, o carrapato fica” ou “O prefeito voltou atrás, nós não!!! Queremos as capivaras vivas”. A última em menção a decisão do prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT) de levar o assunto para uma segunda discussão.

Com a autorização do Ibama, a Prefeitura de Campinas deve fazer o abate das capivaras confinadas no Lago do Café há mais de dois anos até o fim de março. O motivo é porque elas são hospedeiras do carrapato-estrela, que transmite a febre maculosa.

Foto: reprodução EP Campinas

Com informações de EPTV Campinas

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Não seria mais fácil tratar a Capivara contra este hospedeiro?
    Carrapato estrela tem em cães, vacas, cavalos…e etc.
    A capivara é o bode expiatório!!!
    Quanta falta de competência, não Sr. Prefeito?

  2. Na verdade o confinamento desses animais se tornou uma responsabilidade a mais para a prefeitura, e pelo que entendi a última coisa que o prefeito quer é trabalho e compromisso, então, está usando a febre maculosa para se livrar da pior forma possível, cruel e covarde, das pobres capivaras!

  3. Trazendo o conceito de ” proteção animal” para o poder público,o administrador da coisa pública, como dirigente e fiscalizador de um órgão estatal, se depara com situações que deveriam ser minimizadas e bem resolvidas, mas decidem sempre pelo óbito animal e os resultados são nefastos e jamais aceitos ou pretendidos pelo povo . Vamos repensar nossos votos !!

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>