• Home
  • Estado americano autoriza a matança de alces

Estado americano autoriza a matança de alces

5 comments

Por Lobo Pasolini (da Redação)

Moradores de Stoney Fork recolhem alce caçado nos arredores da cidade. (Foto: AP)

O website Globo.com noticiou que moradores de Stoney Fork, em Kentucky, nos Estados Unidos, tiveram autorizada a caça de alces que entrarem em propriedades particulares durante janeiro e fevereiro.

E por que os animais entram nas propriedades? Por fome, já que a comida está escassa na montanhas cobertas de neve.

E o problema, como sempre, foi causado pelos humanos. Em 1997 ambientalistas introduziram uma população de 1.500 alces em 14 regiões do estado como parte de um programa ecológico e turístico. A desculpa na época foi restaurar a população de alces que havia sido dizimada durante a guerra civil no século XIX.

Hoje a população chega a 10.000 alces e, além da visita dos alces em suas propriedades, moradores reclamam de colisões com carros, embora nenhum humano até hoje tenha morrido por isso. Quanto aos alces …

A população de Kentucky é de quase 4.500.000 humanos, então 10.000 alces não parece exagerado. É muito fácil enxergar quem está sobrando aqui e ocupando cada vez mais território.

O fato é que para os animais não existe misericórdia nesta cultura de guerra: entrou na propriedade, pode matar. Até quando vamos apelar para violência para nos livrar de animais indesejados? Aqui no Brasil um caso atual é a guerra contra as capivaras pelo fato de elas carregarem o carrapato estrela que passa para humanos a febre maculosa. (Por enquanto elas parecem estar seguras, mas até quando?)

Essa mentalidade exterminadora é a mesmo dos grupos que saem por aí matando pessoas por estarem “sobrando” no mundo, segundo uma visão distorcida e absolutista do que é certo e errado. É fruto de uma ilusão humana que se outorgou o direito de decidir quem pode ficar ou quem tem que sair do planeta sobre o qual decretamos posse.

About the Author

Follow me

Blogger, jornalista, videomaker, ativista vegano.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. “A população de Kentucky é de quase 4.500.000 humanos, então 10.000 alces não parece exagerado. É muito fácil enxergar quem está sobrando aqui e ocupando cada vez mais território.”
    Disse tudo!

  2. “Essa mentalidade exterminadora é a mesmo dos grupos que saem por aí matando pessoas por estarem “sobrando” no mundo, segundo uma visão distorcida e absolutista do que é certo e errado”
    CONSIDERO esta frase como uma síntese completa, elegante, dizendo tudo numa economia de palavras notável.
    VEMOS numa decisão como a da administração pública de Stoney Fork,( um condado?) em Kentucky, uma completa ausência de formação Ética e a legislação do Estado parece padecer do mesmo mal.
    TODOS os problemas aludidos têm solução, a colisão de animais e veículos nunca deveria ser solucionada com matança generalizada.
    A ENTRADA de um mamífero vegetariano em propriedade particular não poderia de modo algum, determinar a necessidade, o direito ou seja lá o que for, para matar o animal.
    A SUPERPOPULAÇÃO dos alces com certeza pode ser contornada com outros meios que não a matança indiscriminada.
    BATENDO na mesma tecla, a superpopulação de humanos não justifica o “abate” sistemátido de gente!
    É CLARO; somente até que o excesso de gente possa confrontar interesses de alguns espécimes de “gente”.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>