• Home
  • Revista Veja classifica redução do consumo de carne como prática de “baixo impacto” para salvar o planeta

Revista Veja classifica redução do consumo de carne como prática de “baixo impacto” para salvar o planeta

14 comments

Por Vânia Lúcia
em colaboração para a ANDA

É difícil acreditar que a revista Veja seja imparcial quando o assunto é consumo de carne (assim como em tantos outros assuntos). Um exemplo é a matéria já comentada na ANDA alarmando os pais dos “perigos” do vegetarianismo para crianças.

Na edição especial sobre sustentabilidade de dezembro de 2010, a Veja diz que abolir a carne da dieta é uma prática de BAIXO impacto para a construção de um mundo sustentável (veja figura). Até xixi no banho como forma de poupar água é mais incentivado.

Imagem: Reprodução

A Veja certamente sabe que a associação entre consumo de carne e sustentabilidade não é uma “confusão popular”, mas crê que pode convencer seus leitores desta forma. A necessidade de mudança dos hábitos alimentares é ponto pacífico fora do Brasil, no entanto, um dos principais veículos de informação (ou desinformação) do país quer orientar sua população no sentido contrário. Na completa falta de argumentos (pois equiparar os impactos da pecuária e da agricultura é um erro grosseiro) o alarmismo nutricional mais uma vez aparece para descartar a alternativa da dieta vegetariana. A carne aparece então como um mal necessário.

Uma publicação que anuncia ter reunido um time de especialistas para esclarecer dúvidas e traz uma informação indiscutivelmente incorreta e influenciada por interesses econômicos e políticos, presta um grande desserviço à sociedade.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Aproveito o espaço para deixar meu depoimento: a 67 dias que não ingiro qualquer produto de origem animal, e eu disse e friso “qualquer produto”. Só tenho me sentido melhor. Quando ocorre de ingerir, percebo que não fico legal. Pronto: eu que achava que fosse bom comer de tudo, mudei bastante meu raciocínio. Ainda penso, sim, que seja difícil mudar hábitos. Principalmente hábitos alimentares. Mas quem quer mudar precisa iniciar de uma forma.

  2. Olha, a Revista Veja e a Rede Bandeirantes defende os interesses dos pecuaristas. Não se pode esperar muito delas. A Band principalmente, pois chega ao ponto de fazer editorial no Jornal da Band para defender a pecuária. Tudo em nome do dinheiro. E assim vai…

  3. A veja não dá para confiar mesmo, assim como a globo, e outras empresas de jornalismo…são muito tendenciosas em vários sentidos, não só a questão da carne,e animais alguém já assistiu “Muito Além do Cidadão Kane”?
    É proibido no Brasil…por difamação eu acho, mais é mesmo por que fala a verdade sobre essa emissora podre! Quer dizer que segundo essa revista, além da enorme quantidade de metano( pela quantidade absurda de bois que existem no mundo) têm as fezes, que poluem até rios(não é tudo que vira adubo) o transporte até o abatedouro, depois o transporte até a empresa que vai processar mais o animal morto, depois o transporte pro consumidor final não fazem diferença? Xixi no ralo é mais eficiente? E as sacolinhas?.(o melhor é substituir por uma ecobag de tecido) acho que a pessoa que fez essa reportagem nunca viu a “ilha de plástico” no meio do oceano, os animais mortos, os lixões.Difícil? é só olhar no google! Caramba, é desse tipo de reportagem que quem explora animais ou não dispensa sacolinhas precisa!

  4. É lavagem pura,fico indignada,pior que moramos no Brasil,fulaninho lê uma revista dessa e realmente acha que é verdade o jornalista que escreveu essa reportagem deveria pesquisar melhor,achei ridículo a comparação.

  5. A VEJA não quer ter problemas com os pecuaristas. Está na cara. Quanto ao que a moça do conselho disse não há nenhum estudo que comprove isso.

  6. Então fazer xixi no banho é muito mais relevante que abolir o consumo do que tem origem animal?

    – 17.520 litros de água são economizados por ano fazendo xixi no banho

    Sobre a pecuária, só citam a emissão de gases. Como se a criação desses animais não implicasse num abuso desnecessário de grãos, cereais, terras e… água! Para não citar o impacto das toneladas de dejetos lançadas no ambiente.

    Recomendo:http://www.anda.jor.br/2009/08/14/a-life-connected-uma-vida-interligada/

    Acho que essa publicação já foi “melhor” em omitir e desinformar, o que a gente vê por aí ultimamente já beira o cômico.

  7. Pra variar a frase mais batida do mundo: “Alimentar-se só de vegetais pode causar doenças, como a anemia” dita por alguema nutricionista.
    Qualquer idiota sabe que anemia dá também em quem come carne! e que uma dieta contendo muito feijão supre necessidades extras de proteínas e ferro.
    Eu sei que não são todas as pessoas que fazem isso.. mas eu procuro comprar vegetais de lugares próximos a onde eu moro e produtos de agricultura familiar.. que nada tem a ver com plantações gigantescas estilo americanas tapadas de agrotóxicos.

  8. Pra mim, Globo, Abril, entre outros grupos grandes de mídia são uns comprados pelo Pro-Carne. Como a pecuária não causa impacto? Como é comparada à agricultura? Como não dizer que a maioria dos grãos é usada exatamente para alimentar a pecuária? Só não vê quem não quer… e, infelizmente, as pessoas optam em fechar os olhos para esses problemas que acabarão com nosso mundo, em prol de um egoísta paladar.

  9. Falo sobre isso no meu blog e colo a cartilha da SVB – Sociedade Vegetariana Brasileira, sobre Impacto Ambeintal da Produção Animal. É política cpitalista brasileira a produção de animais para ser carne no mundo global…Tudo o que é falado como CADEIA PRODUTIVA brasileira é a “cadeia” ligada a essa INDÚSTRIA. Essa ind´sutria ocupa terras, queima florestas, usa agroquímica e trasngenia para produzir “grãos” (soja, milho…) para os animais, abre estradas, dificulta a vida dos animais silvestres…e, ainda, gera o que a medicina internacional chama de GL OBESIDADE….
    Quanto à posição do Conselho de Nutricionistas de São Paulo…..a ADA- Associação Dietética Americana (70000 profissionais da Saúde) afirma em livro e na imprensa de que uma dieta vegana é adequada aos seres humanos…Grandes estudos tb são feitos pela Escola de Medicina de Loma Linda- dos Adventistas, que, a priori, são ovo-lacto-vegetarianos- claudialulkin.blogspot.com

  10. A VEJA, pelo seu nome lembra-me o “DUPLIPENSAR” da obra 1984 de Orwell.
    A VEJA deveria se chamar a “VENDA OCULAR”.
    VERDADE é mentira, traição é fidelidade…
    ESTE aparelho de ideologia usa o mais incrível meio para impor o pensmento da classe dominante.
    COBRA!
    AS PESSOAS pagam, para serem desinformadas.
    UM ESTUDO de suas mais antigas edições mostrará que ela foi sempre antiambientalista.
    AGORA que a média das pessoas já compreendem a necessidade de conservação do meio ambiente ela passou a pegar mais leve…
    ESTA revista não deveria se chamar “VEJA”, mas sim “FIQUE CEGO”!
    O NÚMERO de artigos contra o vegetarinismo, que ela já públicou é uma coisa incrível.
    NINA você tem rezão, a PRO CARNE, quando viu que os ativistas bagunçariam sempre o seu portal apenas passou a investir na “FIQUE CEGO”.
    O CLUBE da bengala branca intelectual não deixa de comprá-la.

  11. Até aí, nenhuma novidade: a revista Veja sempre foi parcial, tendenciosa e sempre favoreceu determinados grupos econômicos. Surpresa seria vê-los comprando uma briga contra a indústria da carne.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>