• Home
  • Pinguins-imperadores expressam dor e luto pela morte de seus filhotes

Pinguins-imperadores expressam dor e luto pela morte de seus filhotes

9 comments

Como esses filhotes morreram é um mistério,
mas a dor de seus pais não é. O luto é visível, quase palpável.

Luto... Um pinguim-imperador adulto observa com pesar centenas de pinguins filhotes mortos sob a neve na geleira de Larsen Riiser na Antártida. A triste imagem foi captada pelo fotógrafo Daniel J. Cox. Imagem: Pacific Barcroft, www.barcroftpacific.com, Fotografia © Barcroft Pacífico Australasian & Pacific Rim Office

O fotógrafo da vida selvagem Daniel J. Cox capturou a imagem impressionante de centenas, talvez milhares, de pinguins-imperadores adultos debruçados sobre os corpos inanimados de seus filhotes na plataforma de gelo de Larsen Riiser, na Antártida.

A cena expressa uma dor profunda. Eles se deitam deitam sobre o corpo de seus filhotes mortos. Segundo o fotógrafo, “eles se debruçam sobre seus filhos em um estado de tristeza profunda, outros vagueiam em torno da neve congelada tentando localizar seus filhotes.”

Centenas de pinguins-imperador adultos deitam sobre o corpo de seus filhotes numa expressão de dor profunda e luto pela perda de seus filhos. Foto: Daniel J. Cox, do Pacífico Barcroft, www.barcroftpacific.comPhotograph © Barcroft PacificAustralasian & Pacific Rim Office Source: Fornecida

“Parte do meu trabalho é aceitar que com as imagens espetaculares da natureza também estão os fatos  dramáticos da vida. Ver os pinguins de luto, sofrendo de uma forma semelhante à humana, a morte de seus filhotes é de cortar o coração”, disse o fotógrafo.

“É difícil dizer como eles morreram, mas foi-me dito por outros cientistas que a cena que não era inédita. Tempo e fome podem causar este tipo de evento triste,” explicou Daniel J. Cox.

Fonte: Daily Telegraph

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. No filme A Marcha dos Pinguins mostra algumas cenas assim, onde alguns filhotes não aguentam mesmo o frio e a fome, mesmo por poucos minutos. Mas uma morte em massa é algo realmente surpreendente pra mim. Triste! 🙁

  2. Sempre bom ver essas imagens, nos faz refletir a respeito da dor animal. A emoção e a dor
    também faz parte de suas preciosas vidas.

  3. Como a natureza é magnífica, em uma situação de total sofrimento e tristeza ele permanece, passa pelas amarguras da convivência humana e segue seu rumo!
    Impressionante.

  4. Na Antártida, em todo mês de março, centenas de pingüins fazem uma jornada de milhares de milhas de distância pelo continente a pé, enfrentando animais ferozes, temperaturas frias, ventos congelantes, através das águas profundas e traiçoeiras. Tudo para encontrar o amor verdadeiro.

    SINOPSE do filme “A MARCHA DOS PINGUINS”:

    “Em um cenário de gelo desértico, surge uma bela história da natureza que se repete há milênios e da qual depende a manutenção da espécie: a marcha de milhares de pingüins imperadores em busca do par perfeito.

    Por instinto, enfileirados aos montes, machos e fêmeas deixam seu habitat natural em direção ao deserto gelado da Antártica em uma maratona de bravura e sobrevivência até realizar seu ritual de acasalamento.

    O documentário mostra a inversão de papéis entre pingüins machos e fêmeas, onde o casal se separa após um breve tempo suficiente para a fecundação. A fêmea deixa o ovo para ser chocado pelo macho, enquanto retorna para o mar em busca de alimento.

    Meses se passam e os pingüins machos têm a árdua tarefa de aquecer e proteger o rebento, à espera do retorno de suas fêmeas. A nova família de pingüins terá que se reunir no prazo máximo de 48 horas para que o novo membro receba comida, caso contrário, não sobreviverá.

    O reencontro com as fêmeas dá largada à corrida dos machos em direção às águas do Oceano Antártico, a marcha dos famintos. Caberá agora, às fêmeas, a tarefa de preparar os filhos para a vida adulta, até que possam se arriscar sozinhos no mar. Assim, o ciclo se fecha até chegada do próximo Outono.”

  5. http://www.youtube.com/watch?v=v_yG_AuDom4

    O vídeo acima mostra cenas do documentário e uma das trilhas sonoras.
    No finalzinho dá para ver uma cena em que um pinguim se perde de seu grupo no caminho, o quê infelizmente o levaria à morte naquele deserto de gelo. Salvo engano, a distância entre o mar e o local onde se reunem é de aproximadamente 100 quilômetros.
    Hà 4 mil anos a marcha e o encontro se repetem. No entanto, em razão dos problemas climáticos, tudo isso, essa linda história poderá acabar, levando os imperadores à extinção.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>