• Home
  • Cento e trinta filhotes de pandas nascem por ano em reserva ambiental na China

Cento e trinta filhotes de pandas nascem por ano em reserva ambiental na China

0 comments

Imagem: Reprodução/R7

O panda, animal preferido de nove entre dez crianças e que se tornou símbolo da conservação ambiental, é um dos animais mais bonitos do mundo, mas corre o risco de desaparecer. Por isso, cientistas da reserva ambiental de Sichuan, no centro da China, criaram um projeto para salvar os animais.

O panda gigante só existe nas montanhas isolados do noroeste da China e as fêmeas dificilmente ficam grávidas.

Restam apendas 1.600 pandas selvagens, que comem basicamente bambus e brotos e, às vezes, capturam peixes pequenos e roedores.

A reserva ambiental chinesa foi criada há 27 anos para permitir que os animais dentro da reserva se reproduzissem em cativeiro.

O diretor da reserva conta que no início o projeto não deu certo. Embora selvagens, os pandas são muito sensíveis e, em dez anos, apenas um bebê panda nascido na em Sichuan sobreviveu, mas acabou morrendo aos dois anos e meio.

Hoje, 60 pandas vivem no refúgio e o número de filhotes em cativeiro aumentou: há 20 anos eram apenas dez e atualmente são 130 por ano.

Uma panda da reserva teve dois filhotes, mas ela cuida apenas de um dos recém-nascidos. Se estivesse na floresta, a fêmea abandonaria o filhote mais fraco para morrer. O cientistas não sabem explicar porque isso acontece, mas para tentar salvar os dois bebês criaram um truque para enganar o instinto materno da panda.

O tratador distrai a panda com uma fruta e pega o filhote sem que ela perceba para levar para o berçário, onde o outro filhote já estava. Os pandas bebês ficam em uma encubadora e recebem cuidados especiais. O primeiro filhote, então, é levado de volta para a mãe. Mas antes, ainda no berçário, os veterinários espalham uma dose de urina e fezes da panda pelo corpo do ursinho para que ela reconheça o próprio cheiro. Tudo é feito rapidamente para a panda não perceber a ausência do filhote. Como a panda não percebe que é outro filhorte, ela cuida dos dois enquanto acha que tem um só.

O truque dá certo até que os filhotes cresçam e a panda consiga identificá-los pelas manchas nos pêlos.

Os cientistas também tentar facilitar o acasalamento dos pandas da reserva e as fêmeas passam por um tratamento de inseminação artificial ara aumentar as chances de gravidez.

A gestação de um panda pode demorar de três a cinco meses. Quando as pandas estão grávidas, o tratador faz relatórios diários sobre o comportamento delas. A panda Mau-Mau, por exemplo, gostava de se deitar e levantar quando estava grávida – exercício que prepara a musculatura para o parto.

Mau-Mau passou por um trabalho de parto de sete horas e o filhote nasceu com 90 gramas e pouco mais de 15 centímetros, um dos maiores entre os que nasceram na reserva.

Assista aqui ao vídeo da reportagem.

Fonte: R7

Nota da Redação: Esse projeto de preservação dos pandas, assim como outros projetos que visam a conservação de outras espécies, só se tornaram necessários em decorrência da destruição dos habitats e da caça, que são as maiores ameaças aos animais – cujos responsáveis são os próprios humanos. O projeto está mais para uma tentativa um pouco tardia de demonstração de cuidado e respeito pelos animais do que propriamente para um ato de verdadeira generosidade e preocupação com a perpetuidade das espécies.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>