• Home
  • Ursinhos carinhosos. Humanos, nem tanto

Ursinhos carinhosos. Humanos, nem tanto

8 comments

O homem é um bicho muito esquisito. Uma das provas dessa esquisitice você encontra na relação que temos com os ursos.

Quando somos ainda nenês, ganhamos ursinhos de pelúcia, e alguns deles viram nossos primeiros “amiguinhos”. São ursinhos sorridentes, fofos e de braços abertos, sempre prontos a serem abraçados ou lambidos na cara.

Ursos sempre foram personagens simpáticos ou bobos nos desenhos animados. No máximo malandros benignos como Zé Colméia e seu companheiro Catatau. Existe uma indústria de brinquedos e mídia ao redor dos personagens Ursinhos Carinhosos.

Amamos os ursos. E poucas espécies sofrem mais na mão dos humanos. Ursos “dançantes” são exemplo disso. Essa é uma tradição milenar nos povos do leste europeu, e especialmente entre ciganos. Você vê pelas ruas um sujeito sorridente puxando um urso enorme pela coleira. O “artista” toca seu instrumento musical, o urso move as patas traseiras para cima e para baixo, como se estivesse “dançando”. Os admiradores da “arte” se aproximam e jogam dinheiro na caixinha do “domador”.

Esses ursos são dominados por uma argola enfiada em suas narinas. Desde criança são obrigados a pisar em chapas quentes enquanto ouvem a música macabra. Por instinto se movem daquele jeito, um pé de cada vez. Com o tempo, condicionam o movimento à música.

Na próxima coluna eu conto mais algumas histórias contando outras coisas que fazemos aos nossos “amiguinhos”.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Pois é. Quando crianças somos condicionados a amar os animais através dos bichos de pelúcia, mas, quando crescemos, alguns de nós simplesmente não se importam. E ainda batem palmas e contribuem para que a crueldade para com os animais continue acontecendo.

  2. Eu tinha porquinhos, vaquinhas, um patinho e uma galinha, tudo de pelúcia, aprendi a amar esses animais, também por causa disso…mais, quando eu, com uns 8 anos, tentei ser vegetariana pela primeira vez,(se bem que, desde pequena ia na granja com meu avô, ele escolhia o animal e a moça matava, eu ficava brincando com aqueles bichos,tristes, engaiolados.Hoje sinto uma empatia muuuito forte por esses animais tão injustiçados) meus pais ficaram furiosos, me botaram de castigo, tiraram meus brinquedos, até que eu desisti e voltei a comer carne…mais com 11 anos, eu consegui me impor, e sou até hoje, já fazem 5 anos, me sinto muito bem assim! Meu próximo passo é eliminar todos os ingredientes animais da minha dieta, mais ainda não tenho autonomia suficiente, mais ano que vem(vou fazer 16, então poderei trabalhar), vou procurar um emprego, aí espero poder realizar meu sonho: Não colaborar com o sofrimento dos animais, nossos irmãos.

  3. Deby, parabéns. Eu tentei também, mas minha familia inteira é contra minhas decisões. Eles não entendem que amar um animal não é comê-lo ou matá-lo para fazer roupas, sapatos, cinto e bolsas.É a mesma coisa com pessoas, ninguém come os pais porque os ama.
    Mas eu já disse que quando eu tiver 18 anos vou tirar totalmente a morte e o sofrimento da minha alimentação. Ou até menos, porque meu pai, que era tão contra, já está me deixando comer menos carne (antes ele me obrigava) e me dando livros de dietas vegetarianas.

  4. Obrigada, Cleila e Estela, apenas fiz o que acho certo… 🙂
    Estela, parabéns por se preocupar com os animais, espero que consiga! Minha família ainda é contra, mais bem devagar, estão melhorando! Meus primeiro meses como vegetariana foram um terror! Quase fiqeui doente, pois só comia salada, arroz, feijão e ovo frito(que hoje não julgo que seja vegetariano)!e pts de vez em quando, que ficava horrível, pois eu não sabia preparar), aos poucos fui me informando, e hoje já estou completamente adaptada e feliz, sendo vegetariana.Hoje eu vario o cardápio, faço pratos saudáveis…(minha médica se surpreendeu!) Tenho algumas dicas no meu blog, se você se interessar: http://mundoveg.blogspot.com/

  5. Eu também sempre fui criticada por não gostar de comer cadáver de animal.Mas eu não me importo e fico feliz de saber que existem pesooas que pensam como eu,embora seja uma minoria,mas um dia seremos maioria!

  6. Eu tava tentando parar de comer carne(claro que minha mãe não concorda,pra completar)- e virar ovolactovegetariana.É a única maneira que eu consigo.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>