• Home
  • Nova investigação expõe mais crueldades da maior produtora de ovos dos EUA

Nova investigação expõe mais crueldades da maior produtora de ovos dos EUA

2 comments

Por Giovanna Chinellato (da Redação)

O website da Cal-Maine Foods declara que “quando se tratam de ovos, somos o centro de tudo.” Eles são o centro do recolhimento de outro quarto de milhões de ovos. Eles são o centro de um novo processo no esquema de taxar preços. E agora, são o centro da última investigação secreta da Humane Society.

A Cal-Maine está no topo da indústria de ovos, com quase 30 milhões de galinhas poedeiras confinadas em sedes ao redor do país. A National Consumers League chamou as filmagens da Humane Society de “tristes e injustificáveis”.

A investigação da Cal Maine’s Waelder, no Texas, revelou gaiolas superlotadas em que as galinhas passam a vida sem poder esticar as asas, sobre engradados metálicos que fazem suas patas sangrarem. Os pássaros se prendem nas grades, onde morrem de desidatração ou fome a poucos centímetros da água e comida. Carcaças foram deixadas em gaiolas por dias, às vezes chegando ao ponto de mumificação.

Onde foram vistas condições assim antes? Bem, em todas as outras fazendas de produção investigadas, incluindo a segunda e a terceira maiores produtoras dos EUA, filmadas poucos meses atrás.

O presidente da HSUS e CEO, Wayne Pacelle, alerta que é fundamentalmente desumano confinar um animal por toda sua vida em um espaço menor do que uma folha de papel. E quando você tem cinco empregados reponsáveis por milhões de animais, como as bases da Cal-Maine, é impossível monitorar sua condição, abandonando-as a uma vida cruel.

Segundo a Animals Change, confinadas em gaiolas, as galinhas não podem realizar nenhum comportamento natural como espreguiçar, fazer ninhos, rolar na terra ou ciscar. Em um celeiro, a infestação de moscas era tão grave que o investigador relatou: “soava como se estivesse andando sobre Rice Krispies [cereal de arroz]”. Um cano que trazia água para vários celeiros estava quebrado a uma semana, e as drenagens do esgoto inundaram o chão dos galpões.

Essa não é apenas uma forma detestável de tratar outras criaturas, é também uma prova de que existem problemas graves na indústria alimentícia. Um ovo que veio de um útero infeccionado, de uma galinha com o bico mutilado, coberta de sangue e esgoto, vivendo sobre carcaças de outras galinhas que ficaram presas nas grades de gaiolas de bateria, não é apenas nojento e causa perda de apetita, é também a explicação para a crise de salmonela no verão americano (que supreendentemente não foi pior).

Como Wayne Pacelle sabiamente coloca: “O tempo para deixarmos tudo para a indústria e pensar que tudo é aceitável já passou.”

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Horrível…
    Simplesmente um absurdo fazer isso com os animais.
    Acho que tem que ter a união das pessoas para que consigamos mudar esse esquema da indústria alimentícia. Não pode continuar sendo do jeito que é.

  2. É uma crueldade desmedida, não é porque serão utilizados para produzir e comer que podem tornar a vida dos animais ainda pior, afinal são seres vivos, sentem, muitos humanos se consideram superiores a todos os seres e por isso fazem atrocidades com quem não pode se defender. Eles merecem uma multa bem grande para se obrigarem a manter de forma correta os animais.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>