• Home
  • Conheça a vitoriosa história de um cachorro que ganhou na justiça o direito de tratar a leishmaniose, em vez de ser sacrificado

Conheça a vitoriosa história de um cachorro que ganhou na justiça o direito de tratar a leishmaniose, em vez de ser sacrificado

12 comments

Nilmara Gimenes Navarro
nilmaragimenes@yahoo.com.br

Ontem recebi um e-mail da família do Baby, um cãozinho que ganhou na justiça o direito de tratar da leishmaniose, e gostaria de compartilhar com todos essa linda história.

Leiam, a seguir,  a jornada do cãozinho Baby de Cafelândia (interior de SP) e sua vitória na justiça para tratar de leishmaniose.

Leishmaniose é uma doença séria e quem ama seu animalzinho deve cuidar bem, se informando com o seu médico veterinário sobre o uso de repelentes que o protejam do mosquito, pois cuidando dele estará também protegendo a sua família.

Existem repelentes para todos os “bolsos”, pois muitos de nós temos mais de um cachorro.

O importante é prevenir sempre! Lembre-se de perguntar ao médico veterinário de seu cãozinho. Não se esqueça, quem ama cuida!!!

Baby, com saúde e amor para dar e vender

Essa história serve para encorajar os demais, bem como aqueles que se encontram aflitos e temem que o pior aconteça.

Solidarizo-me com todos aqueles que passam por isso, além de me colocar à disposição para o que necessitarem, através do endereço eletrônico nilmaragimenes@yahoo.com.br, ou através dos fones (69) 3421-6600  e  9956-2598.

Um abraço fraterno a todos e, continuemos lutando incansavelmente na defesa dos animais.

Segue a história:

No interior paulista, mais precisamente na cidade de Cafelândia, uma determinada família passou, nos últimos dias, por momentos cruciais, que, aqui faço um breve relato. Baby é animal de estimação da família desde o nascimento (março/2000), portanto inegável o vínculo de carinho e afeto entre o animal e a família.

Em maio do corrente ano, apresentando alguns problemas de saúde, acabou encaminhado para o município de Bauru, um centro médico-veterinário altamente avançado, com profissionais gabaritados, onde foi constatado que Baby era soro positivo para a LVC (Leishmaniose Visceral Canina).

A tutora Nádia, bem como seu pai José, “abraçaram a causa” e decidiram tratar e cuidar do animalzinho, não medindo esforços, mudando toda sua rotina e instituindo outras prioridades (o tratamento de Baby). A rotina da família modificou-se, posto que Nádia e o pai, deslocavam-se 3 vezes por semana para Bauru, durante 3 meses, para que Baby se submetesse ao tratamento de Soroterapia. A junta médica-veterinária alertou à família que, dada a agressividade do tratamento, o cãozinho poderia vir a sucumbir…

Entretanto, para a surpresa de todos, Baby resistiu bravamente ao tratamento. Sendo motivo de orgulho e sucesso para todos que acreditaram.

Foi um fato inédito na Clínica da Dinda. Todos comemoraram. Em data de 31.10.2008 Nádia foi procurada por um Servidor da Vigilância Sanitária do município de Cafelândia, e foi informada que o cão Baby seria recolhido na segunda próxima 03.11, através de busca e apreensão para sacrifício (eutanásia). Nádia, em prantos, contatou a irmã e implorou por providências (medidas judiciais).

Esta se empenhou durante o final de semana e, com a ajuda de 2 outros colegas advogados, ajuizou ação pertinente cumulada com pedido de tutela antecipada perante a Vara Única da Comarca de Cafelândia. Trouxe dispositivos legais e farta jurisprudência a respeito. A inicial foi despachada diretamente com o Magistrado, dada a urgência e peculiaridade do caso. O Magistrado a recebeu e a encaminhou ao Ministério Público, onde este emitiu parecer favorável pelo não sacrifício do Cão Baby. E, o ilustre magistrado, assim como a Douta Promotora, ambos dotados de muita sensibilidade, acolheu a cota ministerial e deferiu a tutela antecipada para que a Prefeitura Municipal fosse citada e se abstivesse da prática da medida extrema de sacrificar o animal, tendo em vista o tratamento de sucesso a que Baby se submetera. A decisão judicial foi única na comarca.

Nunca houve qualquer caso parecido. Todos os servidores do Tribunal torciam pela vida de Baby, assim como a família, o corpo jurídico e a junta médico-veterinária. E, hoje, graças ao profissionalismo dos gabaritados médicos veterinários da Clínica Dinda, dos advogados atuantes (Nilmara, Edilene Sastre e Luiz Poli) e outros mais que acreditaram na vida e no tratamento de alto nível, Baby continua vivendo, tendo seu direito de sobreviver garantido judicialmente.

A família entrou em festa. A Clínica Veterinária igualmente. Os advogados subscritores comemoraram a vitória. E viva a Vida! E viva o Baby! A advogada Nilmara relata que foi a batalha judicial mais importante e gratificante desde seu ingresso na vida jurídica.

Então, Senhores Protetores dos Animais!!! Não desanimem! Convido a todos para lutarem incansavelmente na defesa dos animais e, que façamos com que cessem as práticas de matança indiscriminada deles.

Vamos lutar pela Vida. Viva à Vida! E viva ao Baby!

Nosso lindo cãozinho que permanece entre nós e continua, sempre, incondicionalmente a nos dar alegria!

Cachorros como baby:



About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. A Dra. Nilmara Gimenes é irmã da tutora do Baby, a Nádia e advogada responsável pela ação que deu o direito do Baby a tratar a leishmaniose. Parabéns à família Gimenes!

  2. Nossa muito linda essa história. Sou totalmente a favor de lutar pela vida de um animal pois ele também tem direitos!
    Parabéns familia Gimenes e Nádia minha amiga o Baby é lindo!

  3. Agradeço todos os dias por ter lido a divulgação da História desse anjinho chamado Baby. Isso trouxe esperança ao meu coração e me deu forças para lutar pelo meu anjo canino.
    Parabéns pela tua garra e determinação Nádia.Bjokas

  4. Não me espantou em nada que vc movesse terra e céus para salvá-lo pois sei do seu imenso amor por ele. Que isto sirva de exemplo para todos aqueles que descartam seus animaizinhos assim que eles adoecem ou envelhecem.
    “Nunca abandone aquele que jamais vai abandonar você”
    Parabéns à todos que contribuiram para o final feliz desta história e principalmente a vc Nádia pela sua força e determinação, pois mtos teriam desistido no meio do caminho. Bjo em vc e no Baby

  5. O nome da cidade já diz alguma coisa, rs! Quem dera todos pudessem ter este direito, já que qualquer pessoa com dois neurônios sabe que matar não resolve o problema. Engraçado é que um centro avançado de Bauru quis tratar o animal, ao invés de denunciar à vigilância, já que existe aquela portaria irracional de matar indiscriminadamente cães vítimas da falta de prevenção do poder público para esta doença. Parabéns, pessoal, que muitos outros brasileiros sigam o exemplo e lutem pela vida do seu bichinho.

  6. Linda essa história, fico feliz pelo cãozinho e pela família. Eu, que também lutei muito pela vida de minha cadelinha que após uma cirurgia de castração, veio a falecer no dia 07/07/2007, luto até hoje para provar que houve erro médico. Gostaria muito de manter contato com a Dra. Nilmara para que ela conheça o meu caso e que possa me encaminhar às melhores decisões, tenho vários documentos e muitas dúvidas. Apesar de ouvir várias pessoas dizendo para deixar o caso de lado, só que tem um anjinho como esse na vida, entende o amor, ENORME AMOR E FALTA que sua ausência causa na nossa vida. Pois minha cadelinha não era apenas um animal de estimação, era uma verdadeira filha para mim e meu marido. Por favor, entrem em contato comigo, eu preciso muito de ajuda, pois a minha dor ainda é muito grande.Um forte abraço e parabéns a família do Baby. São exmplos assim que nos dá esperança e nos faz acreditar que a justiça É PARA TODOS!

  7. Linda essa história, fico feliz pelo cãozinho e pela família. Eu, que também lutei muito pela vida de minha cadelinha que após uma cirurgia de castração, veio a falecer no dia 07/07/2010, luto até hoje para provar que houve erro médico. Gostaria muito de manter contato com a Dra. Nilmara para que ela conheça o meu caso e que possa me encaminhar às melhores decisões, tenho vários documentos e muitas dúvidas. Apesar de ouvir várias pessoas dizendo para deixar o caso de lado, só que tem um anjinho como esse na vida, entende o amor, ENORME AMOR E FALTA que eles fazem na nossa vida. Pois minha cadelinha, que se chamava Belinha, não era apenas um animal de estimação, era uma verdadeira filha para mim e meu marido. Por favor, entrem em contato comigo, eu preciso muito de ajuda, pois a minha dor ainda é muito grande.Um forte abraço e parabéns a família do Baby. São exmplos assim que nos dá esperança e nos faz acreditar que a justiça É PARA TODOS!

  8. sou do interior de minas de paraopeba e estou passando por uma angustia muito grandes a poucos dias meu cachorro betovem vem nos preocupando ele esta com algumas feridas no peitoral nao sao feridas expostas mas estao mt vermelhas achamos a principio achamos que poderia ser algum machucado mas neste final de semana vimos que ele esta mt vermelho ja tivemos 14 cachorros e peco para que vcs que lerem este recado rezem por ele e que nao seja a lvc vamos levar ele na clinica amanha que deus abencoe q nao seja isto pq pra nos eles sao mt mais que caes sao verdadeiros irmaos boa noite a tds

  9. Eu estou com minha cadela nina com lesha e estou tratando dela todos os dias há 3 meses desde que foi diagnosticada, o veterinário me indicou os medicamentos,mas apesar de ser contra a morte dela Ele não se posiciona diante do município pelo tratamento pois diz que o ministério da saúde não reconhece ou melhor não permite o tratamento. Ela é uma labradora linda e nesse momento li uma nota no jornal que a partir de hoje 01/02/2010 hávera uma varredura na cidade e que todos os caes serão submetidos aos testes e se diagnosticados deverão ser recolhidos para serem sacrificados. Eu estou muito triste,uma dor no peito, Ela é minha filha a filha que não tenho, minha amiga companheira e fiel , meu presente de Deus. aperto no peito! o que eu faço agora?

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>