• Home
  • Golfinho encontrado em Ilhabela não resiste e morre no Guarujá

Golfinho encontrado em Ilhabela não resiste e morre no Guarujá

1 comments

Um golfinho que estava sendo tratado no Centro de Recuperação de Animais Marinhos (Cram-Reviva), no Guarujá, litoral paulista, não resistiu aos ferimentos e morreu na noite de terça-feira. A jovem fêmea adulta da espécie golfinho-de-dentes-rugosos (Steno bredanensis) foi encontrada no dia 9, na Praia do Sino, em Ilhabela, e por isso foi batizada de Sininho.

Com 2,30 metros de comprimento e pesando 230 quilos, Sininho estava toda enroscada em uma rede cheia de anzóis no momento que foi resgatada, após ter sido avistada por banhistas e pescadores. O animal estava com ferimentos provocados pelos anzóis nas nadadeiras, boca e língua. Entretanto, de acordo com os veterinários, Sininho morreu de complicações respiratórias, pois se afogou ao ficar presa à rede.

O golfinho não reagiu ao tratamento com antibióticos, mesmo após ter sido acompanhado durante 24 horas pelos veterinários, que o alimentavam via sonda. Mantido pela Fundação Fernando Lee e pela Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp), o Cram-Reviva funciona na Ilha dos Arvoredos, a 1,6 km da Praia de Pernambuco, no Guarujá. Atualmente, cinco pinguins, oito tartarugas, duas fragatas e um atobá encontrados com vida na última semana no litoral paulista são tratados no local.

Mortes. Devem ser divulgados hoje os laudos oficiais do Ibama sobre a causa da morte dos quase 600 animais, entre golfinhos, tartarugas e pinguins, que apareceram mortos nas praias da Baixada Santista no último final de semana. O assunto foi notícia na revista americana Time e no jornal inglês The Guardian.

Fonte: Estadão


Nota da Redação: Em nossa cultura, golfinhos são associados a animais carinhosos e dignos de carinho e compaixão. São, no entanto, brutalmente assassinados em outros países para fins diversos e injustificáveis. Mas, além disso, vários são os golfinhos mortos, “acidentalmente”, por redes de pesca e anzóis, usados para assassinar peixes tão brutalmente quanto são os golfinhos em outros países. No Brasil e no mundo todo, peixes tem seus sentimentos ignorados e diversos são os demais animais marinhos mortos ou feridos pela indústria pesqueira.



About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>