• Home
  • Lutas sangrentas entre animais atraem centenas de pessoas sádicas, no Afeganistão

Lutas sangrentas entre animais atraem centenas de pessoas sádicas, no Afeganistão

8 comments

Por Raquel Soldera (da Redação)

O Afeganistão é um país que passou as últimas três décadas envolvido em várias guerras. A atual é causada pela milícia Talibã, cujo governo foi derrubado após a invasão liderada pelas forças americanas no final de 2001.

Paradoxalmente cansada das guerras sem fim que têm atingido o país ao longo de sua história, a cultura afegã promove a exploração e o sofrimento dos animais através da realização de rinhas.

Todas as sextas-feiras, dia de oração no islã, pouco depois do nascer do sol, lutas sangrentas entre pássaros, galos e cães são promovidas no parque central de Kabul, a capital afegão, e atraem centenas de pessoas.

Imagem: EPA

As rinhas foram proibidas no país de 1996 a 2001, durante o regime talibã, por serem consideradas anti-islâmicas. No entanto, a promoção do sofrimento dos animais atrai a população pelo fator econômico. Em um país cuja renda per capita é inferior a 500 dólares, um galo explorado em rinhas pode custar até 2.000 dólares. A população afegã pode não ter dinheiro suficiente para comer, mas não deixa de apostar nas lutas sangrentas promovidas.

“Eu nasci e cresci em uma guerra. Eu adoro assistir às lutas, é um bom passatempo”, conta Shafiqul Efe, de 26 anos.

As lutas não se limitam a aves, galos e cães. Com a chegada da primavera, é comum em áreas do norte do Afeganistão serem promovidos combates sangrentos entre camelos, ovelhas e até mesmo touros.

Muitas pessoas acreditam que essa “paixão” pelas rinhas deva-se à história de guerras vivenciadas nas últimas décadas. No entanto, uma população que se diz cansada de guerras deveria parar de promover sofrimento, crueldade e morte a seres indefesos, pois, enquanto esta prática persistir, será difícil encontrar a paz que tanto anseiam.

Com informações de European Pressphoto Agency

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. triste ver uma país que devia ter esforços concentrados para se reerguer (quem viu/leu o clássico ‘O caçador de pipas’ sabe do que teclo) explorando animais. Lavam suas mazelas com sangue…

  2. País?? Nao se pode considerar um lixo de lugar desses como país, na época do Taliba estava proibido isso pois deveria voltar o regime opressor nesse país, esse povo nao pode conviver com um pouco de liberdade

  3. O ser humano é engraçado. Quando não tem liberdade se “comporta” de uma maneira menos agressiva, quando lhe é dada a liberdade ele faz tudo de ruim que se pode fazer.
    Volta Talibã!!!

  4. nunca ouvi tanta merda antes…..volta talibã?…alguem sabe algo sobre o regime talibã por acaso?.o que vc acha que é viver sendo dominado por um regime islamico radical?…não poder estudar por ser proibido, ter seu rosto queimado com acido, por nao cobrir com véu, isso mesmo sendo uma criança, morrer apedrejado em praça publica por ser contra o regime islamico radical. Um governo que governa um país impondo medo e violencia a população não merece ser chamado de governo. O país tem sido sempre assim, desde a idade média e não é tão cedo que ira mudar. Não se muda uma cultura de milênios assim.

  5. Essa “cultura” não muda porque o povo é sádico mesmo, se acha nodireito de torturar animais inocentes. É falta de algo produtivo para fazer.
    Se durante o regime do talibã não havia essas atrocidades, então o povo nao deveria mesmo ter liberdade. Parece que quanto mais pobre o povo mais sanguinário ele é!
    Volta Talibã!!!

  6. Não é a toa que pra esses lados só tem briga, bomba, matança e tristeza…
    Com um povo burro desses, não tratam seus animais com amor e carinho…Por isso que gosto mais dos animais que dos seres humanos em geral, pois os seres humanos com tanta tecnologia se mostram cada dia mais burros e animais…

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>