• Home
  • Formas de identificar e tratar alergias em cães e gatos

Formas de identificar e tratar alergias em cães e gatos

0 comments

Quando um animal de estimação arranha, morde ou mastiga excessivamente é bem possível que esteja sofrendo de uma alergia. A causa da alergia, denominada alérgeno, poderia ser, virtualmente, qualquer coisa no ambiente de um animal de estimação. Em alguns casos, um animal altamente alérgico pode ter diversas alergias simultaneamente. A identificação da causa da alergia requer um trabalho conjunto do tutor do animal e do veterinário. O mesmo trabalho conjunto é necessário para controlar a alergia.

A alergia mais comum em cães e gatos é a causada por mordida de pulga. Ela ocorre quando um cão ou gato é exposto à saliva da pulga na hora da mordida. Controlar as pulgas no ambiente de um animal de estimação é o tratamento óbvio para a alergia causada por mordida de pulga. Para fazer isto, tanto o animal quanto seu ambiente devem ser tratados. Coleiras anti-pulgas proporcionam um pequeno alívio. Todavia, alguns animais de estimação são alérgicos a coleiras. Pós, sprays, xampus e banhos contra pulgas podem ajudar a livrá-los do parasita.

As instruções contidas nos rótulos devem ser sempre seguidas. O uso excessivo de qualquer destes produtos pode ser perigoso para o animal de estimação. Freqüentemente, um veterinário prescreve medicamentos que matam as pulgas ou rompem o ciclo de vida do parasita.

Para aplicar o produto em gatos, é importante conferir no rótulo se o produto é seguro para gatos. Alguns produtos são seguros para cães mas tóxicos para gatos.

Como as pulgas passam a maior parte do ciclo de vida fora de um cão ou gato, as áreas ao ar livre comuns a pulgas e animais de estimação devem ser tratadas com sprays ou nebulizadores. O combate à infestação de pulgas dentro da casa requer limpeza e aspiração do pó. Um exterminador profissional pode ser necessário para combater infestações pesadas.

Além das pulgas, os cães e gatos podem ser alérgicos a outros parasitas e reagir da mesma forma à mordida do carrapato, por exemplo. 

As alergias de contato são causadas pelo contato físico do bicho com uma substância nociva. As áreas de pelos finos ou sem pelos são usualmente afetadas. Alguns animais podem ser alérgicos a comedouros de plástico. No caso de certas plantas ou áreas geográficas, as alergias inalantes ou de contato podem ser sazonais.

A identificação da substância nociva é de importância crucial para o controle das alergias inalantes e de contato. Se ela for identificada, todos os esforços deverão ser feitos no sentido de eliminá-la do ambiente do animal. Um veterinário poderá recomendar o tratamento apropriado para lesões de pele e para ajudar a aliviar a coceira.

Embora alguns bichos desenvolvam alergias a alimentos, isto é raro e resulta de uma reação imune anormal a um ingrediente presente em alimentos próprios para animais. Geralmente aparecem como problemas de pele ou distúrbios gastrintestinais. Todavia, uma variedade de doenças apresenta sinais semelhantes. Conseqüentemente, outras causas devem ser excluídas antes de culpar a dieta pela alergia e trocá-la por outra.

A maioria dos animais de estimação afetados foi alimentada com o mesmo alimento durante um período de meses ou anos. A alergia se desenvolve no decorrer do tempo, com a exposição ao mesmo ingrediente, geralmente proteínas, mas mudar de um alimento para outro não é a solução porque muitas destas dietas contêm ingredientes semelhantes e nenhuma fonte de alimento é completamente não-alergênica. Os únicos alimentos passíveis de serem considerados hipoalergênicos são aqueles que um animal de estimação nunca comeu. Para ser hipoalergênica, uma dieta deve conter proteínas que foram decompostas o suficiente para não serem reconhecidas pelo o sistema imunológico.

No caso de suspeita de uma alergia alimentar, um veterinário provavelmente recomendará uma “dieta experimental de eliminação” para ter certeza de que a referida dieta é a causa da alergia e identificar o ingrediente ao qual o animal é alérgico.

Se um animal de estimação estiver sob uma “dieta experimental de eliminação” a fim de isolar o ingrediente nocivo, o tutor e todas as pessoas de seu convívio enfrentarão o desafio de manter o animal em sua dieta especial. Isto significa não deixá-lo mastigar couro cru, snacks, sobras de comida ou o alimento de um outro animal.

Uma vez identificado o ingrediente ao qual um animal de estimação é alérgico, uma dieta apropriada poderá ser recomendada. Novamente, o desafio é manter o animal exclusivamente na dieta prescrita sem oferecer nada mais.

No caso de qualquer alergia, uma vez feito um diagnóstico tentativo, pode-se experimentar um tratamento. O objetivo do tratamento é controlar os sintomas evitando a causa da alergia. Se isto não for possível, a administração de medicamentos ou de uma série de injeções poderá ser benéfica.

Uma Consideração Final

A identificação de um alérgeno pode ser um processo complexo que requer tempo e paciência. A recompensa de um tratamento bem sucedido consiste em proporcionar uma vida mais confortável ao animal de estimação afetado.

Fonte: Dep Rio


About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>