• Home
  • ICMBio é contrário à instalação de estaleiro de Eike Batista no litoral de SC

ICMBio é contrário à instalação de estaleiro de Eike Batista no litoral de SC

1 comments

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia vinculada ao Ministério do Meio Ambiente, é contrário à instalação do estaleiro da OSX, do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, em Biguaçu, na Baía de Florianópolis (SC), por entender que os impactos comprometerão em demasia a biota das três unidades de conservação federais, a Área de Proteção Ambiental do Anhatomirim, a Estação Ecológica de Carijós e a Reserva Biológica Marinha do Arvoredo.

Apoena Calixto Figueiroa, chefe da Estação Ecológica de Carijós, unidade que integra o ICMBio, levanta fragilidades do Estudo de Impacto Ambiental (EIA), elaborado pela Fundação do Meio Ambiente (Fatma), órgão ambiental do Estado de Santa Catarina. Para ele, não resta dúvida de que o local escolhido pelo empresário da EBX para a instalação do estaleiro é a mais impactante para o meio ambiente, “pois gerará impactos permanentes a três unidades de conservação, cada uma com seus atributos bióticos e abióticos únicos, que suscitaram suas criações. Neste contexto, em verdade, torna-se difícil conceber local mais sensível na costa brasileira para a instalação de empreendimento dessa natureza”.

Dentre os principais impactos ambientais destaca a contaminação da biota aquática, a destruição de habitat de espécies ameaçadas de extinção, as quais podem vir a desaparecer desses ambientes em decorrência da atividade, o derramamento de óleos e a ameaça à sobrevivência da população de golfinhos-cinza e de outras duas espécies de cetáceos ameaçadas de extinção no Brasil: o boto toninha e a baleia franca austral.

Com informações de Porto Gente



About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Na região de Florianópolis, crimes ambientais sérios como aterramento e poluição de mangues, construção de hotéis em áreas de preservação e casas (de pessoas influentes, diga-se de passagem) em faixas de areia de praias é algo corriqueiro e normal. Não ficarei espantado caso o estaleiro seja realmente construído a despeito dos grandes impactos nestas três importantes áreas de preservação marinha. Afinal, Santa Catarina precisa “desenvolver-se”, segundo os estúpidos progressistas do Estado com suas mentalidades de mais de um século atrás.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>