• Home
  • Dicas para que o seu cão de estimação não manifeste convulsões ou epilepsias

Dicas para que o seu cão de estimação não manifeste convulsões ou epilepsias

11 comments

Os tutores de cachorros precisam ficar em alerta com a saúde de seu animal para evitar crises de convulsões e epilepsias. Para aqueles que não sabem a diferença entre essas duas doenças, convulsões são ataques súbitos e involuntários do cérebro, geralmente manifestando-se como uma atividade muscular descontrolada. Já a epilepsia é a recorrência ou repetição das convulsões, principalmente quando a causa fundamental não pode ser identificada (epilepsia idiopática).

Dependendo de como estiver a saúde do cachorro, basta um susto provocado por um trovão, rojões, para que o animal seja afetado pela doença. A epilepsia idiopática aparece frequentemente em cães de raça Cocker Spaniel, Beagle, Pastor Alemão e Setter Irlandês.

Os sintomas de uma convulsão consistemem intenso tremor e salivação. Os sintomas são praticamente os mesmos que os observados em uma pessoa em convulsão.

Os animais que têm crises de epilepsia com frequência geralmente estiveram nervosos e desorientados antes da convulsão. Cabe ao tutor prestar atenção no comportamento do animal e, se for necessário, levá-lo a um veterinário para prevenir a manifestação da doença.

Para saber se o seu cão possui predisposição para adquirir a doença, basta fazer uma pesquisa para verificar se os pais do cachorro possuem a doença, que é hereditária.

A epilepsia não possui cura, mas alguns tratamentos anticonvulsivos reduzem a frequência das crises convulsivas.

Durante as crises convulsivas, os tutores precisam seguir algumas recomendações. Primeiro, precisam ter cuidado para que o cão não se machuque batendo em objetos cortantes ou caindo de um lugar alto.

Em seguida, deve observar se a língua não irá obstruir a passagem de ar, o que pode acarretar a morte do cão por asfixia, portanto, nessa situação, é preciso consultar o veterinário para saber qual método será utilizado para que o cão não morda a mão do tutor durante a crise.

Enquanto o animal estiver em crise convulsiva, o tutor deve conversar a todo momento para tentar acalmá-lo. É importante lembrar que, na maioria das vezes, o animal perde a consciência, podendo não conhecer as pessoas da casa.

Fonte: Ribeirão Preto Online

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta para patricia Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Gostei do artigo sobre convulsão me tranquilizando um pouco sobre este sintoma. Minha cachorra de 10 anos sem raça definida tem apresentando convulsão repetida, até 3X no mesmo dia, com intervalos irregularres de 4 a 5 meses entre crises. Na última ocorrência, quinta-feira passada, ela teve lagrimas abundantes e ficou com a pata esquerda traseira compequena dificuldade de movimento intercalado com melhoras e reincidencia no decorrer do dia.
    Estou preocupada e muito triste pque. ela tem vida saudável e bons cuidados, gostaria de um conselho; ela tem porte médio e pelagem branca e dourada parecida com coolie.

    Obrigada.

  2. Olá

    Eu tbm tenho uma cadela com suposta epilepsia (eu digo suposta, pois nao realizamos nenhum exame neurológico, pois nao temos disponibilidade destes exames para pet aqui na minha cidade).

    Eu tenho uma Husky siberiana, ela tem 2 anos agora, mas descobrimos a epilepsia a uns 6-7 meses atrás.

    As crises dela são fortes, mas ela nunk fez xixi nem coco, e nem ficou agressiva, graças a Deus.

    Mas uma coisa que nos preocupa são as crises convulsivas, ja aconteceu dela ter mais de 15 convulcoes em 24h…essa foi a maior das frequencias, mas praticamente ela tem uma crise de pelo menos 5 convulsoes 1 vez por mes…

    Infelizmente os veterinários da minha cidade nao sao muito bons, pois nos primeiros meses que descobrimos a doença, sempre levava-mos à clinica, que fica a uns 20min de casa, e a unica coisa q eles faziam era nos deixar esperando por 1h-3h!! olhar pra ela, medir a temperatura… e só, ah claro e cobrar R$70 por uma consulta de menos de 10min! Entao cansamos de levar neles, principalmente quando 1 deles me falou “voce tem que trazer DURANTE a convulsão” sendo q as convulsoes nao duram nem 1min….ridiculo… (não recomendo a ninguem isso, foi necessidade nossa pois os medicos aqui nao sao dignos da profissao…)

    Entao gente, eu sinceramente nao sei mais o que fazer, a minha ultima tentativa é o brometo (nome comercial-Calmavet) e eu ja utilizo o Gardenal 50mg dando 1 e 1/2 a cada 12h.

    Se tiverem alguma sugestao, por favor escrevam

    abraços

    1. Olá Luis Henrique, eu tenho um beagle de 4anos que manifestou a epilepsia qdo tinha 3 anos e meio, desde janeiro de 2012 está tomando Gardenal de 50mg e a veterinária passou Calmavet tb pois o meu beagle tem tido convulsões mesmo tomando gardenal de 50mg ele começou a tomar metade de 1 comprimido de manhã e a outra medate a tarde, depois passou para 3/4 do comprimido e agora toma 1 comprimido de manhã e outro a noite, e passei com ele bastante pois, é muito importante pra ele , brinco bastante com ele e qdo percebo que está ancioso ou esquisito no comportamento ou eu saio na rua com ele ou tento destrair ele.
      E dou muito carinho atenção, não deixo ele isolado, não deixo ele fica stressado exemplo latindo demais no portão não deixo que outros cães que passam pelo meu portão ficar latindo nele e vice e versa pois isso deixa ele muito stressado e ancioso enfim Luis Henrique essas são algumas dicas que eu lhe dei faça tudo isso pelo seu cão pois o Gardenal engorda procure andar com seu cão diarimente começa andando 15 minutos pela manhã e mais 15 minutos a tardezinha, vc pode andar até 1 hora com o cão mas divida esta 1 hora, anda 30 minutos pela manhã se ele já andava e 30 minutos de tardezinha e pronto e nos dias de chuva brinca com ele de bola ou de correr em algum espaço da sua casa que seja livre de perigo pra ele.
      Caso vc tenha mais dúvidas e eu lhe puder ajudar estou no Facebook o nome é BaruckRosana ou meu e-mail souzasalomao@hotmail.com para vc me achar no Facebook, abraço Luis e boa sorte com seu cão.

    2. OLÁ. A TODOS QUE POSSUEM CÃES E GATOS COM CONVULÇÕES QUERO DEIXAR BEM CLARO QUE HÁ SIM TRATAMENTO PARA EVITAR E DIMINUIR AS CRISES E ESPAÇA-LAS POR MAIOR TEMPO.
      POR FAVOR, PROCUREM MEDICOS HOMEOPATAS VETERINÁRIOS EM SUA LOCALIDADE OUI PODE SER ATÉ LONGE , POIS É PRECISO APENAS O PRONTUARIO DO CÃO E AS INFORMAÇÕES JÁ SABIDAS POR OUTROS VETERINARIOS.
      EXISTEM DIVERSOS REMÉDIO DA HOMEOPATIA QUE AJUDAM E REDUZEM MUITO E MUITO AS CRISES, INCLUSIVE PARA DAR DURANTE A CRISE QUE FAZ COM QUE O ANIMAL SE RECUPERE DA CRISE EM MENOR TEMPO.
      HOMEOPATIA PARA EPSLEPSIA ANIMAL.
      EXISTE A ASSSOCIAÇÃO DE VETERINARIOS EM CADA ESTADO E LÁ ELES PODEM DAR OS NOMES DOS QUE SÃO HOMEOPATAS.
      ESPERO TER AJUDADO

      1. ESQUECI DE DIZER QUE OS REMÉDIO HOMEOPÁTICOS SÃO BEM BARATOS MESMO.. E NÃO AGRIDEM O FIGADO E DEMAIS COISAS NO ANIMAL COMO É O CASO DO GARDENAL E OUTROS QUE DESTROEM TUDO…

  3. Gostei muito deste artigo,pois me esclareceu varias duvidas,pis a minha cadela tem esses ataques de epilepsia,isso aconteceu depois que ela ficou prennha,um dia ela estava dormindo ai deu um trovao muito grande,na mesma hora ela começou a se esticar e babar,foi um sufoco muito grande pra nos,pois nao sabiamos o que era,pensamos que ela estivesse elouquecendo,depois passou uns tres dias ela perdeu a cria e agora ela sempre esta dando esses ataques,as vezes demora ate um mes,teve um dia que ela deu o ataque tes vezes no mesmo dia,e muito sofrido e desesperante.

  4. Tenho um yorkshire de 2 anos e 1 mês. Ele teve uma crise de tremura e endurecimento do corpo, suspeito eu de ter sido um principio de convulsão. No momento eu o acalmei, e logo depois de alguns minutos ele foi melhorando e não mais apresentou nenhum sintoma. Qual a sugestão para este caso?

  5. oi.eu tenho uma pudo femeá de mais ou menos 3 anos,e ela começou a convulsionar . eu fico desesperada em vela desse jeito . onde posso encontrar um especialista? eu a amo muito….

    1. Milton, quando o animal perde o apetite geralmente está doente e é importante levar ao veterinário com urgência para ver o que está acontecendo, quanto mais demorar pior.

  6. Olá, acho que alguns equívocos foram ditos nesse artigo. Primeiro, ao contrário da espécie humana, os cães não correm risco de enrolarem a língua e morrerem asfixiados, pois sua anatomia muscular é diferente e, segundo que o correto não é falar com ele ou chama-lo enquanto tem a convulsão, e sim acalentá-lo em silêncio e no escuro, pois barulhos e vozes o deixam mais desorientados e ansiosos.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>