• Home
  • Prefeito impede resgate de animais em zoológico no México

Prefeito impede resgate de animais em zoológico no México

0 comments

Por Raquel Soldera (da Redação)

A Procuradoria Federal de Proteção ao Ambiente (Profepa) denunciou criminalmente o prefeito José Luis Peniche Bates, do município de Tizimin, no estado do Yucatan, no México, acusado de impedir o trabalho de fiscais ambientais.

De acordo com um comunicado, o Ministério Público Federal recebeu sexta-feira (20) uma denúncia do encarregado da Profepa em Yucatán, Enrique Cárdenas González, que acusou o prefeito municipal de “ecocida”.

Funcionários limpam o ambiente artificial onde os animais ficam confinados (Foto: Diario de Yucatán)
Funcionários limpam o ambiente artificial onde os animais ficavam confinados (Foto: Diario de Yucatán)

Gonzáles contou que na quinta-feira fiscais ambientais pretendiam resgatar 23 animais das más condições a que estavam sendo submetidos no zoológico.

A denúncia indica que empregados municipais e policiais invadiram o local, somando cerca de 200 pessoas, e ameaçaram os fiscais, dizendo que ninguém sairia do parque com os animais porque “o que é do município fica no município”. Os fiscais ficaram detidos por mais de sete horas.

A Profepa decidiu resgatar os animais depois de avaliar, “jaula por jaula”, as condições de saúde dos bichos, tendo como antecedente os relatórios de maus-tratos no zoológico feitos anteriormente.

Veado apresentava feridas no focinho, além de antigas cicatrizes no corpo. (Imagem: Ernesto Méndez/Excelsior)
Veado apresentava feridas no focinho, além de antigas cicatrizes no corpo. (Foto: Ernesto Méndez/Excelsior)

Gonzáles disse que nos últimos seis meses, 34 animais, entre leões, hipopótamos e veados morreram no zoológico La Reina devido a falta de alimentação e cuidados.

Detalhou que em maio a Profepa realizou a primeira visita ao lugar, depois que trabalhadores denunciaram que os leões estavam há dez dias sem comer.

“Na primeira fiscalização que fizemos em maio deste ano contamos 198 animais; em junho, restavam 191, já que haviam morrido quatro leões, um ganso, um veado, um avestruz e um jaguar, e há duas semanas que retornamos, encontramos 164 animais; ou seja, morreram 34 animais em um intervalo de seis meses”, completou.

O prefeito Peniche Bates acusa o responsável pela Profepa, Patricio Patrón Laviada, de aproveitar-se de seu cargo para semear discórdia e de não demonstrar “amor ao povo”.

Com informações de Yucatan.com e Excelsior

Nota da Redação: Os animais vivem uma situação triste e degradante nos zoológicos, constantemente submetidos a condições de maus-tratos. Zoológicos têm de ser abolidos. A preservação das espécies deve ser garantida pela conservação do habitat natural dos animais, e não os prendendo em jaulas que imitam seu ambiente natural.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. essas filosofias, baratas e hipócritas, que zoológicos “vendem”, que são locais de ciência no estudo da fauna e sua preservação, já caíram por terra.
    Desde quando prisões são locais de alegria e pedagogia?

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>