• Home
  • Delegado mata cão a tiros alegando que agiu em defesa de seu poodle

Delegado mata cão a tiros alegando que agiu em defesa de seu poodle

0 comments

O delegado titular do 1º Distrito Policial de Corumbá, no MS, Jeferson Rosa Dias, matou a tiros um cão, simplesmente porque ele teria avançado em seu poodle na manhã de ontem (10). O caso aconteceu na rua Tiradentes, esquina com a avenida General Rondon, área central de Corumbá.

Foto: Reprodução/Midiamax
Foto: Reprodução/Midiamax

Marta Mendes Silva, 28 anos, uma vizinha, testemunhou o episódio todo e conversou com a reportagem do jornal Diário Online a respeito:

“Por volta das 8 horas da manhã, a secretária da casa do delegado estava sentada na frente da residência dele com o cachorro poodle, quando um cão se aproximou e começou a brincar com ele. Alguma coisa aconteceu e os dois cachorros começaram a brigar. A mulher, apavorada, começou a puxar o poodle e a gritar, quando o delegado saiu e deu um chute no cachorro, afastando-o do poodle. Logo depois, eu vi o delegado descer do carro dele em frente à casa de dona Janete e disparou três tiros no cão, que caiu morto. A dona Janete pedia ‘pelo amor de Deus, não mata meu cachorro, se seu cão está ferido, a gente manda num veterinário’, mas o delegado nem ouviu, agiu sem pensar”, relatou a moradora.

Procurado pela reportagem, Jeferson Dias deu a sua versão. “Estava tomando café quando a minha secretária começou a gritar. Fui socorrer, era meu poodle que estava sendo mordido. Logo, comecei a chutar o cachorro, que não largava meu animal. Depois, entrei para casa e quando saí, o cachorro já havia soltado meu poodle. Fui atrás do cão de carro, e quando desci do veículo, ele me atacou também. Não tive alternativa a não ser atirar no cão. Meu cachorro acabou morrendo devido às mordidas”, afirmou. O delegado disse ter registrado boletim de ocorrência no 1º DP por “falta de cuidado com animais e usurpação na cautela da guarda de animais”. Ele ainda ressaltou que a secretária dele também foi mordida pelo cachorro.

A tutora do cão morto, Janete Santos Cabreira, muito nervosa, afirmou que o animal nunca apresentou qualquer problema. Ela contou que uma viatura da Polícia Civil foi enviada ao local para pegar o cachorro. Ela tentou impedir, mas os policiais acabaram levando o animal dizendo que ele passaria por exame para saber se estava com alguma doença. A Polícia Militar foi chamada e dona Janete registrou um boletim de ocorrência contra o delegado. O BO foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil. 

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) vai investigar a conduta do assassino. O delegado Regional, Hausner Helmút Voss, explicou que a Sejusp foi comunicada da situação e, enquanto correr a investigação, Jeferson Dias, seguirá desempenhando as atividades normalmente.

“A Secretaria de Justiça e Segurança Pública vai apurar o caso através do Departamento de Polícia do Interior, da Diretoria Geral de Polícia Civil (DGPC). A Sejusp vai instaurar um procedimento interno para apurar o caso”, afirmou Voss. O resultado da apuração vai indicar se o titular do 1º DP corumbaense será ou não punido administrativamente ou criminalmente.

Com informações de Midiamax

Nota da Redação: Não podemos reagir com outro sentimento, a não ser com uma indignação profunda perante um caso como esse. Se dois animais estão se desentendendo, é natural que tentemos separá-los, acalmá-los: é esse o nosso papel como seres inteligentes e capazes de educar outros seres que estão sob os nossos cuidados. Atirar no cão foi uma atitude criminosa, covarde, e sem volta. Espera-se que a justiça seja cumprida e que o delegado responsável por tirar a vida desse cão seja devidamente punido.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. tem policiais ótimos, mas esse ai piso na bola,mas vamos ponderar levando se em conta que o cachorro dele tambem foi morto.devemos lembrar que a muitos anos atras a policia civil nos ajudou muito.mas infeslimente o brasileiro tem memoria curta

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>