• Home
  • A terrível realidade das fazendas de extração de pele

A terrível realidade das fazendas de extração de pele

7 comments

Ricardo Alves
ricardo.asilva83@hotmail.com

Ao entrarem disfarçados nas fazendas de peles chinesas, investigadores descobriram que muitos animais ainda estão vivos e lutando desesperadamente enquanto os funcionários os arremessam de costas no chão ou os penduram pelas pernas ou caudas para esfolá-los. Quando os trabalhadores dessas fazendas começam a cortar a pele e os pelos da perna de um animal, este se contorce e chuta com os membros. Os funcionários pisam nos pescoços e cabeças de animais que se debatem fortemente para permitir um corte limpo.

Quando a pele é finalmente arrancada por sobre as cabeças dos animais, seus corpos pelados e ensanguentados são descartados em uma pilha sobre aqueles que vieram antes deles. Alguns ainda estão vivos, respirando em difíceis suspiros e piscando lentamente. Os corações de alguns desses animais ainda batem por cinco a dez minutos depois que sua pele é arrancada. Um dos investigadores gravou, em um monte de carcaças, um guaxinim esfolado que teve força suficiente para erguer sua cabeça ensanguentada e olhar direto para a câmera.

Antes de serem esfolados vivos, os animais são retirados de suas gaiolas e arremessados ao chão; os funcionários os golpeiam com bastões de metal ou os lançam com força em superfícies duras, quebrando ossos e causando convulsões, mas nem sempre sobrevém a morte imediata. Os animais assistem, impotentes, enquanto a fila avança, os funcionários avançando sobre os próximos.

Bastidores

Os investigadores disfarçados da Swiss Animal Protection/EAST International viajaram por fazendas de peles da província chinesa de Hebei e rapidamente ficou claro por que a visita de forasteiros é proibida. Não há legislação regulamentando as fazendas de peles na China – os proprietários podem abrigar e abater tantos animais quantos quiserem. Os investigadores descobriram horrores que ultrapassam seus piores pensamentos, e concluíram: “As condições das fazendas de peles chinesas zombam dos mais elementares padrões de bem-estar animal. Em sua vida e em sua indescritível morte, foram negados até os mais simples atos de bondade a estes animais”.

Inferno em vida

Nessas fazendas, raposas, minks, coelhos e outros animais marcham e tremem em gaiolas, expostos a chuva, noites congelantes e, outras vezes, ao sol abrasador. As mães, que enlouquecem devido ao tratamento brutal e ao confinamento intenso e não têm onde se abrigar ao dar à luz, muitas vezes matam seus filhotes depois de ter suas ninhadas.

Há um esqueleto no seu guarda-roupa?

A globalização do mercado de peles tornou impossível saber de onde vêm produtos feitos com essa matéria-prima. A China provê mais da metade das peças de vestuário prontas feitas de peles que são importadas pelos Estados Unidos. Mesmo se a etiqueta de uma peça de pele informa que esta foi fabricada em um país europeu, os animais foram provavelmente criados e abatidos em outro lugar – possivelmente em uma fazenda de peles irregular na China.

A única maneira de evitar esta inimaginável crueldade é nunca usar pele alguma. Assine hoje o compromisso PETA de ser livre de peles!

NOTA: Nesta postagem faltam links, imagens e o principal, que é o vídeo. Para ter noção, acesse o link a seguir, onde o texto foi publicado:

http://planetavegetariano.blogspot.com/2009/09/uma-visao-chocante-do-interior-das.html

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. nossa! minha indignação é tanta que se eu pudesse largava uma bomba atomica encima dessas fazendas esses filhos da puta! desalmados, esses monstros.cara se eu um desses invetigadores ia se preso porque ia sai destribuindo chumbo ia mata todos esses chineses locos doentes…só desejo a eles que morram de aids,cancer, de peste,,minguando em uma cama passando fome .filhos da puta O iabo esparará voces.

  2. Este meu comentário, é na realidade,um desabafo. Como não faço parte do mundo da moda (hoje, sinceramente, agradeço, por isto), o uso de peles, não pertencia à minha rotina, portanto não pensava nisto. Foi preciso um vídeo, cujas cenas são tão violentas( mesmo que eu vivesse tanto quanto Matusalém, jamais esqueceria ), que só podem ser comparadas ao sofrimento dos que foram assassinados nos campos de concentração nazistas, o martírio dos cristãos, à época de Cristo, o assassinato de todos os meninos recém-nascidos, por Herodes e quando os americanos explodiram as cidades japonesas, na Segunda Grande Guerra.Nunca vi nada tão medonho. Filme de terror nenhum, supera tal desgraça. Sinceramente, sei que não resolve, mas torço para que todos aqueles que se sustentam, roubando a pele dos outros, tenham uma vida miserável,caso não se conscientizem e parem com tal violência.Assim, aconteça, também, com quem as usa. Não estamos mais em época de precisarmos explorar os animais, para sobrevivermos. Se houve necessidade, que fique num triste passado. O pior que não é por necessidade. Vaidade, gente. Só vaidade! Isto sim é uma vergonha!!!!!!

  3. gente mais estupida!qual sera a piada de faser sufrer assim?! se eu apanhasse essa gente crucificava-os de cabessa para baixo e xpetavalhe farpas na cabessa ate cuspirem os seus miolos

  4. Isso é um absurdo, não existem palavras para expressar tanta falta de amor e piedade. Mas o que não entendo, a Swiss Animal Protection/EAST International foi até essas malditas fazendas para assistir tanta crueldade e dor e não fizeram nada??? Como conseguiram ver tanta maldade??? Como pode???
    Não existe justificativas cabíveis para isso.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>