• Home
  • Impactos da Pecuária

Impactos da Pecuária

0 comments

É impossível falar de meio ambiente sem tocar na questão da alimentação. Porém, alguns ainda tentam se esquivar do assunto, como o próprio Al Gore que, em seu documentário “Uma verdade inconveniente” nem sequer citou a questão. Descobriu-se depois que ele tinha uma fazenda de criação de gado. Isso sim é bem inconveniente.

Mas qual o problema com a criação de gado? Bem, nós os criamos para alimentação e os reproduzimos numa quantidade tão exorbitante que, com certeza, criamos sérios prejuízos ambientais.
 
Muito se fala na questão do trânsito e das indústrias como grandes contribuintes para o aquecimento global, mas quase nunca se fala na criação extensiva de gado. E pasmem, é esta atividade a que mais contribui para o aquecimento global. Segundo relatório da FAO (Organização para Alimentação e Agricultura), ligada a ONU, a pecuária é responsável por 18% da emissão de gases nocivos, contra 11% das emissões ligadas ao transporte.
 
Podemos citar também um estudo promovido pela Sociedade Vegetariana Brasileira, que lançou uma publicação chamada “Impactos sobre o meio ambiente do uso de animais para alimentação” (disponível no site da sociedade). Segundo esta publicação, no Brasil, 45% da água doce consumida é gasta na pecuária (e 45 milhões de pessoas não possuem acesso a água potável). Neste cálculo entra a água que os animais bebem, a utilizada na irrigação dos pastos e a que é gasta no processamento das carcaças. Esta última atividade, além de utilizar uma quantidade obscena de água limpa, a devolve ao meio ambiente totalmente contaminada por fezes, urina, sangue, hormônios e antibióticos.
 
Nosso País utiliza o sistema de criação de gado extensivo, isto é, cada bovino precisa de uma grande área de pasto para engordar. Tanto que o gado nacional (cerca de 200 milhões) já ocupa um terço do território brasileiro. Na Amazônia, a derrubada de florestas para abertura de pastos é responsável por 70% da área devastada!
 
Outra questão importante é o uso ineficiente da agricultura, já que boa parte dos grãos produzidos não é destinada ao consumo humano, e sim a produção de ração: para produzir 1 kg de carne são necessários 8 kg de grãos. Outra forma de mostrar o desperdício: é preciso de 11 a 17 calorias de proteína vegetal para produzir 1 caloria de proteína animal. O biólogo e ativista Sérgio Greif, afirma: “A fome só existe porque cerca de 25% dos grãos cultivados no mundo são utilizados na alimentação do gado. Mesmo o fato de que este gado será posteriormente utilizado para alimentar seres humanos não é justificativa, visto que a produção de carne representa um uso ineficiente dos grãos. Os grãos são utilizados de forma mais eficiente quando consumidos diretamente por seres humanos”.
Claro, existem várias outras implicações destrutivas da criação de animais para consumo, mas acredito que a poluição do ar, da água, o desmatamento e a fome são motivos suficientes para nos fazer repensar nossa forma de alimentação. 
 
 

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. A fome não existe por causa do gado. O gado ajuda, visto que o consumo de grãos é exorbitante. Mas a fome existe pq muito da comida produzida é jogada fora para segurar preço. A produção de comida é maior do que a necessária. A renda é mal distribuída assim como a comida. Resolver o problema da fome no mundo não é complicado. É porque não querem mesmo.
    O problema não é o gado e a carne, e sim a quantidade de gado e carne consumida. Outro problema é, pra quem é destinada a carne? Não é necessário ser vegetariano. Mas também não precisa comer carne todos os dias e em mais de uma refeição. Acredito que o consumo de carne deve ser reduzido sim!
    Agora, o buraco é mais embaixo. Pra darmos um passo adiante, e realmente pararmos com a palhaçada dos produtores agropecuários, é necessário algo mais do que ser vegetariano, ou vegano e defender os direito dos animais. É necessário outro sistema, porque esses níveis e impactos da produção, assim como a exploração, o trabalho escravo ou quase escravo, entre outros problemas graves, são inerentes ao Capitalismo, cujo o objetivo é o Lucro.
    Vamos pensar nisso. Não basta apenas repensar nossa alimentação.

  2. Gostaria de expressar minha preocupação com a contaminação generalizada dos animais por transgenicos proveniente de cultivos transgenicos.
    O governo Lula foi irresponsável em permitir a entrada também de milho e agora todo óleo de soja e muitas plantações de milho serão contaminadas.
    A Fome pode ser combatida pela agricultura familiar e pela manutenção do homem do campo, no campo! Sou Prof. de Ecologia e Conservação, bem como de Estudos de Impactos Ambientais e também atuo como formador de multiplicadores de Educação Ambiental. http://www.if.ufrrj.br/dca/laboratorio6.html

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>