• Home
  • Comendo com vegetarianos – Parte II

Comendo com vegetarianos – Parte II

0 comments

Por causa da sua tradição cultural, os restaurantes indianos costumam oferecer uma boa variedade de pratos vegetarianos, mas esteja certo disso antes de sair, pois muitos podem ter adaptado demasiadamente seu cardápio à cultura do local. A oferta de saladas é geralmente escassa, mas não é rara. Pães especiais como o Naan, acompanhados de diferentes molhos e chutneys (molhos agridoces, em geral apimentados) são uma boa pedida para a entrada. Já nos pratos principais, um bom restaurante indiano pode ser uma descoberta sem fim. Com sua maravilhosa variedade de temperos, a culinária indiana transforma ingredientes simples, como batatas, ervilhas, lentilhas, grão-de-bico, arroz e vegetais folhosos em pratos tentadores que oferecem os mais diversos estímulos ao paladar. Aqueles que não desejam consumir derivados do leite devem certificar-se de que as preparações não são feitas com ghee (manteiga clarificada). Quando disponíveis, as bebidas feitas com água de rosas merecem ser experimentadas.

Mas as maiores possibilidades de acerto e satisfação estão certamente nos restaurantes de culinária mediterrânea. O tradicional tabule e uma variedade de saladas de folhas, que podem ser acompanhadas por molhos à base de tahine (pastas de gergerlim) e outros temperos peculiares à culinária mediterrânea, formam uma excelente entrada. Assim como os restaurantes indianos, a culinária mediterrânea baseia os seus pratos naquelas que são o ingrediente preferido para o prato principal do vegetariano: as leguminosas, que, além de serem muito saborosas, são excelentes fontes de proteína, ferro e cálcio, devendo sempre ter um lugar de destaque nesse estilo alimentar. Preparações à base de lentilhas, favas e grão-de-bico – muitos restaurantes oferecem os charutinhos recheados com grão-de-bico no lugar da carne – e o tradicional hommus (pasta de grão-de-bico) dão espaço ao uso das leguminosas. Esfihas de vegetais e o pão sírio podem ser acompanhados de alguma das especialidades da cozinha mediterrânea. Tanto o hommus quanto o babaganouj (pasta de berinjela) são um excelente acompanhamento para outros pratos, garantindo a composição de uma refeição vegetariana satisfatória e completa. O falafel, uma fritura à base de leguminosas, é vegetariano e sempre agrada àqueles que estão dispostos a consumir um pouco de óleo a mais.

Quanto aos restaurantes italianos, basta compor a massa escolhendo entre os molhos aqueles que não levam produtos animais e a refeição estará garantida. As sopas também são uma boa opção Para aqueles que não desejam consumir ovos, informe-se sobre a presença destes na massa e certifique-se também de que a base dos molhos ou da sopa não contenha caldo de carne ou outros ingredientes “menores” que possam passar despercebidos se não forem diretamente questionados.

Esse cuidado vale para todos os tipos de cozinha. É sempre prudente questionar sobre detalhes que vão desde a presença de gordura animal na massa da esfiha de vegetais até o uso do aliche na cocção da escarola.

Já em relação aos restaurantes franceses, aprecie os pratos montados com vegetais, que são cuidadosamente selecionados e elegantemente preparados. Mantenha atenção especial aos ingredientes utilizados nos molhos.

Em todo tipo de estabelecimento, na falta de pratos vegetarianos no cardápio, sempre se pode pedir para que algum prato seja adaptado. Para isso, explique claramente o que é e principalmente o que não é permitido na sua opção alimentar ou na de seu acompanhante. Um pouco de tempo dedicado à pesquisa e um simples telefonema antes de decidir o destino assegurarão um passeio que agradará a todos.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>